quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Final de Temporada? - Algumas Considerações

Salve Papada!
Chegamos ao final da temporada 2011 do futebol profissional do Juventude. E o fizemos com título, o que sempre é bom. Pode não ter sido o troféu mais importante do mundo, mas com certeza foi o máximo dentro das nossas possibilidades. Aos poucos, vamos nos tocando da nossa atual situação dentro das quatro linhas e, com isso, podemos retornar a escalada rumo a lugares mais ao sol.
Hoje, infelizmente, nossa realidade é essa: disputar com os outros clubes do interior do RS (e aqui neste post incluo sempre os da capital fora duplinha neste grupo) o lugar de mais destaque nas competições regionais e brigar con outras equipes de igual para igual nas divisões inferiores das competições nacionais. Digo isso sem esquecer que temos a obrigação de fazer isso e nos impor perante esses adversários, como foi nesse ano com os títulos de Campeão do Interior do Gauchão e da Copa FGF. Porém, também relembro a todos que nos últimos anos nem isso estávamos fazendo.
Caros papos, gostaria de deixar claro aqui que não compactuo com aqueles que veem sempre o melhor colocado do interior nesses confrontos como terceira força. Por isso, não nos vejo neste posto. Nem nós, nem nenhum outro clube do RS atualmente. Fomos (e somos) melhores, mas não somos força. Terceira força no RS só teve uma - o E.C.Juventude Campeão de Brasil e de anos nas principais séries nacionais. Ali o estado do RS estava bem representado, com 3 times em destaque no cenário nacional - além de outros times na série b. Porém, por todos os motivos que já sabemos, deixamos de figurar entre os grandes e deixamos vago nosso posto.
Aliás, o futebol gaúcho anda numa fase de encolhimento. Coincidência ou não, desde que assumiu a atual direção da FGF, o futebol gaúcho em geral encolheu. O atual presidente - que disse certa feita que "todo mundo quer grenal na final" - pegou a federação com 5 times nas principais séries nacionais e deixou com 2. E pior, acredita que isso sob nenhuma hipótese é problema dele.
Dentro dessa situação, temos que manter os pés no chão como agora. Essa disputa de vaga a série d, sofrida e heróica como foi, serviu pra mostrar que temos que fazer força para conquistar nosso espaço. Clube com essa história, com essa torcida e com essa camisa tem que entrar em todas as competições para, se não vencê-las, fazer o seu melhor. E esse anos quase conseguimos: das 3 competições, apenas na série d (justo a mais importante...) ficamos aquém do que projetamos. Não veio o acesso, mas muita coisa voltou. Fator Jaconi, torcida e time juntos, além, é claro, de taças.
O ano de 2012 já está sendo projetado. De qualquer maneira, convido a todos para continuar nos acompanhando por aqui. Ainda temos final do Gauchão Sub-17, onde temos vantagem contra o Inter, eleição da diretoria executiva do clube, aniversário dos Papos da Capital, eleição do consulado, pré-temporada alviverde, contratações... Ufa! Muita coisa ainda. Isso que é fim de temporada.
Tenho dito.

sábado, 19 de novembro de 2011

19/11/2011 - 22:29


É Campeão!



Sem mais.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

A Hora da Verdade

Salve papada.
Pouco mais de 24 horas nos separam da segunda e decisiva partida da decisão da Copinha. Que pra nós virou Copona desde a eliminação na Série D. Como todos sabem, precisamos desse título para já entrar 2012 com calendário cheio e vaga no brasileiro. Mas não começamos bem no primeiro tempo da decisão. Empate em casa no jogo de ida e com gols nunca é resultado a ser comemorado. Porém, diante das circunstâncias apresentadas na noite de terça-feira, não deu nem pra achar ruim.
Num jogo cheio de alternativas, onde os dois times apresentaram altos e baixos ao longo dos 90 minutos, qualquer uma das equipes poderia ter saído com a vitória. Mais: parecia que quando um time se apresentava melhor, o outro achava um lance ou um gol e equilibrava tudo. Aliás, quem viu o jogo, no estádio ou na TV, não pode dizer que faltou emoção. Além dos 4 gols, bolas na trave e defesas dificílimas (mliagrosas até) aconteceram em quantidade maior que o normal pra uma final. Sinal de que neste confronto equilibrado, qualquer equipe pode chegar ao triunfo.
Pois bem, agora é tudo ou nada. Ou quase nada, já que o vice tem garantida a vaga na Copa do Brasil 2013. Mas o que vale mesmo é a conquista. Tenho certeza que a papada vai em peso comparecer no velho Florestal e apoiar o time nesta última batalha. Nós Papos da Capital estamos mais do que mobilizados e vamos nos dirigir ao Vale do Taquari ainda a tarde para o 'aquece'. E Deus queira que fechemos esse 2011 com a taça no armário. Eu acredito, e você?

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Em ritmo de feriadão

Salve papada.
A esta hora muitos papos já devem estar na estrada, rumando para um destino diferente do de todo dia, para curtir, deacansar ou ambos. Praia, lagoa, meio do mato, que seja. Mesmo aqueles que, como eu, não vão ter o privilégio de emendar feriadão, devem dar um jeitinho pra relaxar com esse calorzinho, numa primavera já com cara de verão. Além disso, os juventudistas tem outra coisa em comum: vão terminar o feriado acompanhando o Juventude, pela TV ou no Jaconi.
Sei que não foi uma unanimidade, mas o dia/hora do jogo me agradou. E, na minha opinião, vai sim possibilitar que mais papos estejam acompanhando a primeira partida da final nas arquibancadas, que é o lugar da papada em dia de jogo do Ju. E esse jogo vai se decisivo (mais uma vez) para nossas pretensões. Já virou mantra na copinha: ganhar, sem levar gol e, de preferência, fazendo mais de uma vez a rede adversária balançar. Com mais de 10 dias de recuperação entre a segunda partida da semi e essa, vamos com o que temos de melhor para o confronto, que promete ser encardido.
Lembrando: é um jogo de 180 minutos e que vale muito. Me arrisco a dizer que vale o 2012. Apenas vencendo o Lajeadense é que garantiremos calendário cheio pro ano que vem, algo imprescindível para um clube com a história, grandeza e responsabilidade que detemos. Portanto, mais uma vez, todos ao Jaconi para torcer e apoiar, rumo ao título.
Tenho dito.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Finalista

*Atualizada em 08/11 as 22:05

Salve papada
Foi uma festa no vale, antes, durante e depois do jogo, dentro e fora de campo.
Com o belo sábado de sol, os Papos da Capital começaram a chegar as imediações do Estádio do Vale antes das 14 horas. Embalados por um churrasquinho de gato (de raça) preparado pelo Cônsul Fernando Bassanesi e por algumas cevas, os juventudistas ali presentes puderam acompanhar a chegada do ônibus da delegação, saudado com fogos de artifício e animação. Logo depois, os ônibus de excursão e os carros particulares chegaram de Caxias, transformando de vez as ruas do bairro Liberdade em NH num mar verde. Muita gente mesmo.



Claro que essa mobilização muito teve a ver com a goleada do jogo de ida. Entramos em campo praticamente classificados, e apenas um desastre improvával nos tiraria a vaga na final da copinha. Já dentro do estádio, a festa seguiu. Copa com ceva liberada (5 pila a lata, mas tinha) e o sol e calor das 16 horas em horário de verão apenas contribuiram pra isso.


Começa o jogo e quem desde o início toma as rédeas é o Juventude. Até por isso, o gol que praticamente aniquilaria de vez com qualquer resquício de esperança anilada aconteceu, ainda no meio da primeira etapa. Michel - grata revelação do time B - fez o seu depois de duas tentativas no mesmo lance, em jogada individual. Daí até quase o fim do jogo, foi uma mera questão de administração de escore. Tanto que os 2 gols da virada foram pra lá dos 35 do segundo tempo, com as 3 alterações já efetuadas pelo Picoli. E foram as 2 chances de gol claras do Noia no jogo.
Apito final, a festa alviverde se seguiu na saída do campo. Não veio a vitória, mas a classificação a final da Copa FGF se confirmou. Aliás, lembram quando foi que disputamos a final de um torneio com os profissionais pela última vez? Por isso, seguimos firmes e fortes rumo a busca ao retorno ainda esse ano ao Brasileiro, que virá apenas com o título. Mas pra isso, precisaremos passar pelo ajeitadinho Lajeadense, em primeira partida no Jaconi provavelmente no sábado. Com o apoio maciço da papada, não tenho dúvidas.
Tenho dito.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Melhor que a encomenda

Salve papada.
Que jogo! Que partida! Mas principalmente, que vitória! Foi um 3 a 0 inesperado, pelas campanhas na competição e pelos confrontos históricos recentes entre ambos, porém merecido. Sim, nobre papada, o Juventude venceu e convenceu. Com certeza, entornamos o caldo das bandas do Rio dos Sinos. Uma goleada construída na bola e na vontade. Vontade de quem quer ser campeão.
O Juventude demonstrou-se superior todo o jogo. Mesmo nos momentos de administração do escore as melhores chances foram alviverdes. Tanto no primeiro tempo, após o um a zero, quanto no segundo, já com os três na conta, impusemos nosso futebol e padrão de jogo naturalmente. O time anilado sentiu o golpe, tonteou e, em alguns momentos inclusive buscou o enfrentamento com truculência e bate-boca. Enfim, saiu de campo envaretado.
Não preciso aqui dizer que as coisas não estão garantidas ainda, que faltam 90 minutos, que isso, que aquilo... Quem é papo sabe: pro Ju nada é fácil. Temos sim uma vantagem considerável - invejável até - mas precisamos é terminar o duelo dos 180 minutos em vantagem. Nada de entrar como se fosse jogo ganho. Falo isso aqui, porém sei que o Picoli jamais faria algo diferente disso: encarar o confronto de sábado com a seriedade necessária, e exigir isso do grupo de jogadores.
Ao contrário do que foi em Rio Grande, espero uma galera no Estádio do Vale pra dar força ao Verdão. Nós daqui da capital faremos esquema similar ao realizado no Passo d'Areia esse ano. Vamos chegar cedo e preparar um aquece bem legal a todos os Papos da Capital e, porque não dizer, a papada em geral. Vamos torcer para um dia bonito e que a festa da classificação a final da Copinha se extenda noite adentro.
Tenho dito

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Classificado pra Semi

Salve papada.
Com uma atuação precisa, principalmente no segundo tempo, o Juventude alcançou sua classificação as semi-finais da Copa FGF, com os 3 a 0 diante do São Paulo-RG. O adversário da próxima fase será o Novo Hamburgo, com a primeira partida quarta-feira no Jaconi e a volta no domingo no Vale dos Sinos. O que passar deste confronto enfrentará na final o vencedor de Grêmio x Lajeadense. Portanto, 3 times disputando a vaga no Brasileiro Série D de 2012.
No confronto de ontem, algumas surpresas, outras nem tanto. A se destacar a presença do público, que encheu as arquibancadas do Aldo Dapuzzo pra empurrar sua equipe rumo a vitória, que não veio por mérito do Ju, que encarou com seriedade o confronto, e goleou com naturalidade. Parabéns ao pessoal do Rubro-Verde do Rio Grande pela manifestação de apoio ao clube. Outra surpresa gratificante foi a escalação do Michel, que deu conta do recado, substituindo com competência ao lesionado Eraldo, desfalque de última hora. Aliás, parabéns a toda garotada, que tá jogando bem e ajudando bastante. Ontem, o próprio Michel, o Ramiro e o Ricardo Filho jogaram direitinho, pelos relatos da equipe da Rádio Caxias.
O que não tem sido surpresa, pelo contrário, é o péssimo nivel da arbitragem gaúcha. Além de ruins tecnicamente, eles tem errado sistematicamente contra nós. Ontem, o pau comeu solto, e no mínimo um pênalti escandaloso não foi marcado em cima do Zulu no segundo tempo. Pra não ficar apenas com a opinião da imprensa de Caxias - que pode carregar um certo viés - olhei em jornais da Zona Sul (como o Jornal Agora ) e foram categóricos em relatar esse lance.
Bem, isso agora é passado. O foco passa a ser o confronto de quarta-feira. Acredito que a papada vai comparecer e empurrar o time rumo a mais uma vantagem. Um resultado positivo, no mínimo igual ao do primeiro jogo contra o São Paulo, é imprescindível. É contruir um bom escore na ida e buscar, de novo, a classificação fora de casa. Seguimos na torcida.
Tenho dito.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

É pouco?

Salve papada.
Começamos as quartas-de-final da Copa FGF em vantagem. Apesar da pressão, principalmente no segundo tempo, tivemos que nos contentar com o 1 a 0 ao silvo final do jogo de quarta-feira. Foi inegável a superioridade alviverde frente ao time da zona sul que, com um homem a menos e encolhido, não teve outra alternativa a não ser se defender com todas as forças, evitando um placar mais elástico. E logrou êxito nessa invernada.
Escrevi no post anterior que a vitória era fundamental, de preferência sem tomar gols e fazendo mais de um. Pois bem, dois desses três objetivos foram alcançados. Faltaram mais gols, mas mesmo assim, na minha visão, conseguimos uma boa vantagem para o jogo de volta em Rio Grande no domingo, 19 horas. Que pode ser ampliada se fizermos um tento na meta adversária, o que obrigaria o São Paulo a repetir a jornada contra o Cerâmica na fase anterior e fazer 3. E, sejamos francos, podemos sim esperar do nosso Juventude a marcação desse(s) gol(s) fora.
Senão, vejamos: de todos os jogos oficiais desse segundo semestre do grupo principal - incluo nessa conta os da Série D e os da Copinha a partir do Esportivo em Bento - só não balançamos a rede em um deles, diante do Mirassol naquele fatídico jogo de ida das Oitavas do Brasileiro. Em todos - repito: TODOS - os outros marcamos pelo menos um gol. O próprio Picoli em diversas entrevistas relatou a sua tendência ofensiva na montagem e estrutura da equipe em campo, e não vai ser agora, numa hora decisiva, que isso vai mudar.
Por fim, acho difícil que consigamos colocar um bom número de torcedores no Aldo Dapuzzo. O horário e a distância não ajudam. Mas quem puder, que compareça pra dar uma força ao time. Provavelmente, me incluo nessa turma dos "acho brabo ir". O que não significa que não estarei acompanhando nossa jornada. Acompanhando e torcendo para que continuemos na busca, ainda esse ano, da nossa vaga no Brasileiro ano que vem. E se Deus quiser, no próximo jogo do Ju no Jaconi estarei lá.
Tenho dito.
Obs.: Começou o processo de sucessão no clube. Assunto pros próximos post. Abraço

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Nas quartas

Salve papada.
Enfim, nos classificamos. Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas estamos vivos. Ao contrário de outros times, como Cruzeiro, Cerâmica, Brasil-Pel, Caxias e o atual campeão da competição, o Inter-Sub23 - só pra ficar nos que estavam disputando alguma Série do Brasileiro - seguimos em frente. Mas não foi fácil!
Pelo que pude acompanhar na narração da Radio Caxias via web, tivemos uma apresentação bem melhor na primeira etapa do que na segunda. Antes do intervalo, a sensação era de que os 2 a 0 tinham saído barato para o time da capital. Já na segunda etapa a coisa encrespou, principalmente após o gol de honra do adversário e, com as calças na mão, seguramos o resultado favorável.
Aliás, me parece nítido (tanto pelo jogo que vi na quarta em POA quanto esse que ouvi apenas) que os jogadores que foram incorporados ao grupo principal carecem de um melhor preparo físico. Nos jogos na D - exceção àqueles da fase de mata, com um jogador a menos - sobrávamos em campo, a ponto de dar um banho nos adversários nos segundo tempo nesse quesito. E agora na copinha estamos nos arrastando, contando os segundos pro final do jogo, vendo o adversário crescer no final. Repito: me parece que aí perdemos de uma competição pra outra.
Agora é o São Paulo-RG. Time encardido, vem de campanha apenas razoável na Série B do Gauchão. Entretanto, garantiu o primeiro lugar na Chave Sul (ou Fronteira, como queiram) da Copinha, e vem de um 3 a 1 em casa diante do Cerâmica, que tinha a vantagem do 1 a 0 do primeiro jogo. Pelo que tenho lido nas redes sociais e blogs/sites esportivos, tem contado com um considerável apoio de torcedores/simpatizantes das arquibancadas.
Por ter pior campanha, nosso Ju joga a primeira partida dessa fase em casa, na quarta-feira, tendo que decidir classificação fora de casa pela primeira vez esse ano. E confesso que estou curioso para ver o comportamento da equipe nessa situação. Vitória é fundamental, de preferência sem tomar gol e marcando mais de um. Conto com isso, mas tenho certeza de que não vai ser barbada. Como não será nenhum jogo até o final (queira Deus que na final). Afinal, dos 8 times que restaram, apenas 1 não disputa a vaga no Campeonato Brasileiro. Essa é a nossa realidade atualmente, e é a ela que temos que encarar, superar e conquistar.
"Veni, vidi, vici."
Tenho dito

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Empate Bom, Futebol de Doer...

Salve papada.
Mas o que foi aquilo ontem, meu Deus?
Eu e mais alguns Papos da Capital estivemos no Estrelão na tarde de ontem para acompanhar nosso Juventude em mais uma batalha para voltar a ter vaga no Brasileiro do ano que vem. E, para premiar o esforço - já que nesse dia/horário é pra matar! - saímos com um empate em 1 a 1, o que garante uma boa vantagem pro jogo de volta sábado no Jaconi. E foi só.
O primeiro tempo foi sofrível. O time da casa, com a iniciativa, teve duas ou três chances boas de abrir o placar antes do intervalo. Apesar de em boa parte dessa etapa ter sido uma meia linha, com o nosso time quase que 100% do tempo se defendendo, o jogo chegou a metade como começou. Um 0 a 0 que dava pena. Tá certo que o gramado não ajudava nenhuma das equipes.
Aliás, aqui sou obrigado a abrir um parênteses: Sr. Noveletto, é inadmissível que uma competição oficial, com atletas profissionais, organizada e fiscalizada pela Federação Gaúcha de Futebol, tenha uma partida realizada naquelas condições. O gramado, pior que o da minha casa (que é pura brita e alguna tufos de mato) é apenas um elemento a mais no show de horrores que vimos ontem. Que mandassem o jogo no campo do Parcão então, em muito melhores condições. Incrível que isso ainda aconteça nos dias de hoje.
Voltando ao jogo, no segundo tempo a coisa melhorou. Melhorou não, ficou menos pior. Voltamos atacando mais e até com mais volume que o adversário e perdendo chances. Porém, em lance de bola parada e, de novo, falha do nosso sistema defensivo, tomamos o gol. Daí, tendo que correr atrás do prejuizo, começaram as mudanças por parte do Pícoli. Que surtiram o efeito necessário. Passamos a ameaçar mais, chegando em um número maior de vezes na área de ataque. Tanto que tivemos um pênalti escancarado em cima do Eraldo não marcado pelo juizão (outro que tava de doer). E, por ironia, de uma bola parada também surgiu nosso pênalti e o gol de empate.
Com o 1 a 1 no placar, passamos a administrar o jogo, aguardando o apito final. Só espero que na próxima partida o Juventude vença, se classifique e, tão importante quanto, jogue bola. Porque ontem tava brabo...
Tenho dito

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Mais do Mesmo

Salve papada
Com a classificação em 3° assegurada após goleada diante do Passo Fundo sábado no Jaconi, cruzaremos novamente com o Cruzeiro da capital na próxima fase de mata-mata da Copinha. Com esses 2 confrontos, vamos terminar 2011 enfrentando o estrelado 5 vezes. Como sabemos, até agora enfrentamos o time alviazul em confrontos equilibrados, com uma vitória pra cada lado e um empate.
Com a primeira partida marcada para as 16 horas de quarta-feira, provavelmente no Estrelão, será difícil pra muita gente estar presente a partida, por conta de compromissos no trabalho e/ou estudos. Mas com certeza alguns Papos da Capital se farão presentes pra dar apoio ao time nesse jogo.
Particularmente, espero uma vitória já nesse jogo, e o encaminhamento da vaga no sábado no Jaconi. O caminho já está traçado: passando por esse jogo, pegamos o vencedor de Cerâmica e São Paulo de Rio Grande. Seguindo adiante, podemos fazer a semi contra Novo Hamburgo, Passo Fundo, Santo Ângelo ou Brasil-Pel. Na final, se tudo der certo, podemos estar já com a volta garantida a Série D, caso nosso adversário venha a ser Grêmio, Inter ou Caxias. Pra isso, o time tem que fazer sua parte dentro de campo. Se é o que nos restou pra 2011, vamos lá! Queremos a Copinha, oras.
Tenho dito

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Retomando

Salve Papada
Passada uma semana da decepção da desclassificação no Brasileiro e a consequente situação de não termos vaga garantida na competição no próximo ano, as atenções se voltam a deficitária e desinteressante Copa Lacy Ughini. A Copa FGF desse ano garante ao Campeão uma vaga na Série D de 2012 e, por isso, o Juventude decidiu encará-la como prioridade, já que, aparentemente, é o caminho mais curto para se conquistar a vaga na competição nacional -a outra é o Gauchão do ano que vem.
No sábado, com vitória de 2 a 1 frente ao lanterna e já eliminado Esportivo em Bento Gonçalves, garantimos a nossa classificação a próxima fase com uma rodada de antecedência. Não pude acompanhar do estádio esse jogo, fazendo-o pela Rádio Caxias via web. Até por isso, me abstenho de tecer comentários mais aprofundados sobre nosso desempenho em campo. Aliás, o espaço dos comentários está aberto para isso. Agora, jogamos na última rodada para definirmos em qual posição ficamos no grupo, se 3°, 4° ou 5° lugar, em casa, num confronto de 6 pontos contra o Passo Fundo. O time adversário ocupa a 3a. posição na nossa chave, 2 pontos a nossa frente.
Portanto, a vitória se faz necessária, uma vez que com ela podemos terminar em 3° do grupo e, com isso, levar alguma vantagem para os confrontos de mata-mata da próxima fase. Acredito que a papada vai entender essa nossa nova realidade e vai apoiar, em número razoável, a equipe nos próximos confrontos. Só assim para no mínimo recuperarmos o que perdemos esse ano.
Tenho dito

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Ferido de morte

Salve papada

Decepção. Tristeza. Angústia. Lágrimas. Incredulidade. Dor.
De novo.
(E até quando?)
Uma diferença: essa dor já não machuca mais tanto.
Como um coração enfartado, tomamos o tombo e não aprendemos.
Continuamos lá, batendo no peito.
E esse coração, sangrando em verde-e-branco, segue a vida.
Triste. Amargurado. Envergonhado.
Mas não uma vergonha de ser. Muito mais uma vergonha de estar.
Estar sofrendo há tanto e tanto tempo, e ver que o sofrimento nunca é grande o suficiente que não possa ser maior.
Mas fazer o quê?
Esse coração continuará a bater.
Forte, firme e pulsante. Cada vez mais.
Porque enquanto houver um suspiro, um piscar, uma voz, um grito de gol, eu vou estar junto.
Fazendo o que mais gosto e sei fazer.
Torcer pelo sempre grande ESPORTE CLUBE JUVENTUDE

Aos Papos de fé como eu, peço apenas que juntem os cacos, lambam as feridas e sejam fortes.
Chegamos no fundo, definitivamente. E dele sairemos, juntos e fortes.
E que venha a Copinha.
Tenho dito.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Ficou 'Casca'...

Salve papada.
O que já era difícil, complicou. Contrariando as expectativas da torcida esmeraldina, nosso Juventude saiu derrotado da batalha de ida contra o Mirassol. E não vou eu aqui tapar o sol com a peneira: fosse a primeira partida no Jaconi, e nela tivéssemos ganho de 2 a 0, hoje estaríamos todos comentando que a classificação tinha se encaminhado. Portanto, sejamos coerentes aos fatos. Uma coisa é ganhar de 2, 3 ou 4 gols de diferença (o que já ocorreu nessa Série D a nosso favor). Outra, bem mais difícil, é fazê-lo "na obriga". Tarefa árdua nos espera no domingo.
Agora, acredito que não tenha um único papo que não concorde com o que vou falar agora. Dá pra passar, sim, oras. Difícil nunca foi sinônimo de impossível, e nossa história como clube de futebol ao longo dos anos nos brinda com diversos casos vitoriosos com essas características. Para isso, precisaremos todos mostrar que queremos e muito tirar o Juventude da Série D, nem que seja na marra!
Ouvindo o jogo na Rádio Caxias pela web lá na casa do nosso Cônsul, fiquei com a sensação de que, não fosse a expulsão do Pico a 30 minutos do primeiro tempo, a sorte no jogo seria outra. Mesmo com volume enquanto estava 11 contra 11, o Mirassol assustou muito menos o Jonatas do que nosso ataque o fêz na defesa deles. Tanto que tivemos duas chances de abrir o placar, uma delas no poste em cobrança de falta do Fred. Depois, com a superioridade numérica e o desgaste natural, acabamos sucumbindo, tomando os dois tentos na segunda etapa, um deles após os 40 minutos.
Dito isso, tenho certeza que aqui no Jaconi será diferente. Quem tá em dúvida se vai ou não no domingo, que a desfaça e se apresente. Apenas com o caldeirão fervilhando é que dá pra reverter a desvantagem. Deixe a preguiça e a vaia de lado neste findi, e vá ao estádio para apoiar. Nós daqui do Consulado Juventudista de POA já estamos nos mobilizando para fazer a maior caravana do ano até então. E você? Lembre-se: não é apenas a sobrevivência na competição atual que está em jogo. É a garantia de calendário cheio em 2012, véspera de nosso centenário. E, se queremos o melhor para o nosso Ju, precisamos lutar por ele. Com as armas que temos.
Tenho dito.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A caminho do mata-mata

Salve papada
Estamos aí, as portas de estreiar na fase de mata-mata da Série D. Domingo já temos nossa primeira batalha de 4 que nos esperam até o tão sonhado acesso. E ela precisa ser encarada por toda a papada como merece: decisão. Nada menos que decisão. Um fracasso nos dois jogos contra o Mirassol significam uma catástrofe muito maior que estar disputando a quarta divisão brasileira. Significa não estar em nenhuma! Por isso todo apoio nessas horas é bem vindo. Aqueles que puderem acompanhar o Juventude no interior paulista que o façam. Os que não puderem, que direcionem toda sua energia positiva para lá.
Acredito muito no grupo montado pelo nosso clube. Demonstrou que tem capacidade para conseguir chegar no objetivo que é voltar a série c. Mas competições eliminatórias como essa que chegamos nem sempre premia o melhor e mais bem preparado. Ademais, lembro aqui que tivemos a melhor campanha no Gauchão deste ano dentre todas as equipes fora "duplinha" e fomos eliminados nos 2 turnos justamente na fase de mata, e dentro de casa.
Só que agora é diferente, eu sei. A equipe encorpou ao longo do tempo, tendo ganho as partidas com imposição técnica e física. Deixamos de perder partidas nos últimos minutos e passamos a ganhá-las no finalzinho. É por essas e outras que estou confiante no acesso esse ano. Confiante, mas com pés no chão. Pois nada está ganho ainda.
Pra encerrar, gostaria de deixar aqui minha opinião acerca de uma polêmica lançada pelo Sr. Presidente da FGF (como forma de protecionismo a sabemos bem quem). O Brasil, e muito menos o futebol, os clubes e a torcid, não precisa de Série C com 64 times novamente. Precisa, isso sim, é de calendário decente. Faz as séries C e D com grupos de 8 ou 10 equipes, todos contra todos, em turno e returno. Com isso, já tem no mínimo 14 jogos garantidos no ano. Dali, os competentes seguem tentando os acessos, mas os demais teriam garantido quase meio ano de atividade. O número de participantes pouco importa. Preferia 40 na C e 40 na D, em grupos de 10. Ah, e preferia que o Sr. Presidente da FGF deixasse de ser bonzinho apenas com alguns, tratando a todos com igualdade.
Tenho dito.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Analisando o Grupo 7

Pessoal,

Uma vez que temos 99,9999% de chance de ficarmos em 1º lugar do grupo (soh uma derrota por 6 a 0, combinada com vitória por 6 a 0 do Cianorte para nos tirar do 1º grau), resolvi dar uma analisada no que seria o “menos pior” dos adversários provenientes do Grupo 7:

A principio, estamos entre Mirassol-SP, Cene-MS e Oeste-SP. Os jogos de domingo serão: Operário (4º e desclassificado) x Mirassol (1º) e Oeste (3º) x Cene (2º).

Mirassol
O provável 1º lugar do grupo (empate garante), está invicto e sem tomar gol em casa, o saldo de 2 gols é justificado pelos placares nada elásticos. Com 6 gols pró e 4 gols contra, dá indícios (apenas isso, obviamente) de ser aquele time murrinha, que joga fechado, tentando jogar nos erros do adversários. Para mata-mata são perigosos, uma vez que sempre marcaram ao menos um gol nos jogos fora de casa, e não levaram gol em casa.

Cene
Joga por empate ou vitória para classificar, com derrota do Mirassol e empate, pode garantir o 1º lugar. Eles tem o melhor ataque do grupo, e quando jogam em casa parecem ser MUITO ofensivos, uma vez que fizeram no mínimo 3 gols em cada partida. Também sempre tomaram gol. Com 14 gols pró e 10 gols contra, parece ser outro jogo complicado, mas um adversário que dá indícios de jogar e deixar jogar (exatamente o contrário do Mirassol).

Oeste
Talvez o mais irregular dos 3, com apenas 1 vitória em casa (Ceramica) e 2 fora (Ceramica e Operario) e insucessos contra os adversários diretos em todos encontros, dá indícios de ser o time mais frágil em casa e um bom time fora. Dos seus 11 pontos, 7 foram longe de seus domínios. 9 Gols pró e 7 Gols contra não querem dizer muita coisa na real (heheheh)..

Enfim, honestamente, gostaria de pegar o Oeste na próxima fase, porém não me parece que eles terão força para garantir a classificação, mesmo jogando em casa. Apostaria nos confrontos Mirassol x Cianorte e Juventude x Cene. E qualquer que passar do outro mata-mata será osso duríssimo que teremos que roer para enfim buscarmos o nosso tão esperado acesso.


Texto de Fernando Frizzo

domingo, 11 de setembro de 2011

Rodada Adiada

Salve papada!
Todos devem ter visto nos noticiários o que está acontecendo no Vale do Itajaí e arredores. As chuvas que caíram por lá afetaram sobremaneira a vida em várias cidades. E, como era de se esperar, respingou até no futebol. A rodada do Grupo 8 (o nosso) prevista para esse final de semana foi toda trasferida para quarta-feira próxima. Metropolitano x Cruzeiro (em Blumenau) e Cianorte x Brusque (no Paraná) vão ser, portanto, os jogos de encerramento da penultima rodada da Série D. Mas não foi apenas essa a consequência da catástrofe metereológica.
O Estádio Augusto Bauer, do Brusque, foi totalmente invadido pelas águas de um rio próximo (conforme pode ser visto no pioneiro.com), e praticamente está descartado para ser usado pelo Brusque na última rodada, em jogo contra nós. Suspeita-se que outros estádios de cidades próximas podem ser usados, como em Blumenau, Iatajaí e Joinvile.
Isso me fez lembrar de um episódio que aconteceu em 2003, mais precisamente na fase classificatória do Gauchão daquele ano. Em uma partida cheia de confusões, vencemos o GFPA por 2 a 1, com dois gols do lateral Mineiro. Naquela partida, perdemos o mando de campo por ter sido arremessado dos camarotes uma garrafa de Água com Gás vazia na direção do bandeirinha (e que pegou num jogador deles), ainda no primeiro tempo. E me lembro bem: de acordo com a narração da Rádio Caxias à época, o objeto -  que chegou a campo bem na minha frente! - saiu de um camarote usado por torcedores visitantes. E, sim, perdemos o mando de campo para a partida da última rodada. Aliás, abro aqui um parênteses: se naquela época fomos punidos com a perda de mando por atitudes de torcedores visitantes, não vejo o porquê do estardalhaço em alguns veículos da imprensa caxiense com o ocorrido nas bandas do cemitério. Aconteceu no campo deles, culpa deles, ora! Ainda mais que são reincidentes!
Voltando a 2003, naquela ocasião, já estávamos com a classificação assegurada, bastando apenas decidir se em primeiro ou segundo do grupo, em um confronto direto contra o SCI. Depois de confirmado que não poderíamos atuar no Jaconi, sondou-se várias opções e, mesmo tendo sido anunciado que provavelmente o jogo seria no Vermelhão da Serra, em Passo Fundo, acabamos chegando a um acordo (vantajoso financeiramente para nós) e jogamos aquela partida no Beira-Rio, casa deles. O resultado: 3 a 3, depois de estarmos perdendo por 3 a 0. Mesmo assim, com o empate, ficamos em 2º e fomos em desvantagem para a fase semi-final.
E porque lembrei disso justamente agora? Simples. Dependendo da rodada do meio de semana, o jogo contra o Brusque pode ser, para eles, apenas para cumprimento de tabela. E para nós, já se sabe, serve somente para definição de posição. Então, porque não oferecer ao Brusque que, caso já esteja desclassificado, que venha jogar em Caxias, ou outra cidade mais perto da papada? O gasto que teríamos com passagem e hospedagem indo a SC podemos bancar os custos a eles. E mandando o jogo no Jaconi ou outro estádio próximo, poderíamos ter uma receita extra com renda, já que o público pode (e deve) ser bem melhor do que em um jogo nessas circusntâncias em Joinvile, por exemplo.
Porém, caso tenhamos interesse em fazer tal proposta, devemos ser rápidos. Já li que a definição do local da partida deve se dar já na segunda-feira. Mas não custa tentar negociar com o Brusque um adiamento da decisão para após a partida de quarta, não é? Se for valendo a classificação deles, mantem o jogo por lá. Se não for, que consigamos trazer o jogo pra perto e fazer uma bonita festa de classificação. Agora, independente de onde, o Juventude tem totais condições de, respeitando o adversário, se sair vitorioso. De qualquer maneira, fica a dica para a direção.
Tenho dito.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Classificação Antecipada

Salve Papada
Conseguimos atingir o primeiro objetivo. Com a goleada de sábado, garantimos matematicamente a classificação a segunda fase da Série D, de forma antecipada. Com duas rodadas de antecedência (folgamos na próxima), o Juventude atingiu 16 pontos e, com isso, não pode mais ser alcançado pelo Brusque, que continua, com 7 pontos, apenas com chances matemáticas de chegar a próxima fase. Tudo indica que o Cianorte, perigoso adversário e que por algumas oportunidades encrencou o jogo do final de semana, seja o outro classificado, já que o confronto direto entre os dois acontece na próxima rodada no Paraná.
Pra quem não foi ao Jaconi - aliás, decepcionante o público do sábado; esperava mais gente pela importância do confronto - ou pra quem foi e, como eu, quer ver os gols de novo, no site Folha Ca-Ju tem o video com os melhores momentos do jogo. Jogo este com dois tempos bem distintos. O primeiro tempo foi extremamente amarrado, com a predominância das defesas sobre o setor de criação e os ataques. Chance, chance mesmo, daquelas de dizer uhhh!, não teve pra nenhum dos lados. Consequencia: um "oxo" merecido.
Já no segundo tempo, a reviravolta. O Juventude, que voltou alterado do intervalo (David Lopez saiu pra entrada do Ramiro), ficou mais afim do jogo, ma stambém correu mais riscos. O 1 a 0 - gol do Zulu, de novo! - veio já na segunda metade da etapa final, e depois disso o Cianorte ainda perdeu algumas chances. A tranquilidade mesmo somente se tornou realidade para a papada presente no Jaconi após o 2 a 0 - gol do Cristiano, de novo! - e, a partir daí, o Campeão do Interior do PR não teve forças para evitar, com o 3 a 0 - gol do Ramiro - a derrota por goleada para o Campeão do Interior do RS.
Além disso, confirmamos a Melhor Campanha de toda Série D até então, por pontos (16) e aproveitamento (76,2%, junto com o Villa Nova/MG), bem como o Melhor Ataque, com 18 gols.

Classificação Série D 2011
4 times já classificados          8 times sem chances

GRUPO 1 P J V E D GP GC S %
Penarol 14 7 4 2 1 9 4 5 66%
Cuiabá 10 6 3 1 2 12 10 2 55%
Plácido de Castro 9 7 2 3 2 7 8 -1 42%
Vila Aurora 6 6 1 3 2 5 6 -1 33%
Nacional-AM 4 6 1 1 4 5 10 -5 22%
GRUPO 2 P J V E D GP GC S %
Sampaio Corrêa 12 6 4 0 2 16 6 10 66%
São Raimundo-PA 8 6 2 2 2 6 5 1 44%
Independente 8 6 2 2 2 9 9 0 44%
Trem 7 5 2 1 2 5 8 -3 46%
Comercial-PI 7 7 2 1 4 5 13 -8 33%
GRUPO 3 P J V E D GP GC S %
Santa Cruz 12 6 3 3 0 7 3 4 66%
Santa Cruz-RN 10 6 3 1 2 6 5 1 55%
Alecrim 9 7 3 0 4 6 10 -4 42%
Guarani-CE 8 6 2 2 2 5 2 3 44%
Porto 5 6 1 2 3 5 8 -3 27%
GRUPO 4 P J V E D GP GC S %
Treze 15 7 5 0 2 14 9 5 71%
Coruripe 15 7 5 0 2 11 9 2 71%
Bahia de Feira 9 6 3 0 3 9 6 3 50%
River Plate-SE 7 6 2 1 3 7 8 -1 38%
Vitória da Conquista 1 6 0 1 5 2 11 -9 5%
GRUPO 5 P J V E D GP GC S %
Itumbiara 13 7 4 1 2 13 9 4 61%
Tupi 11 6 3 2 1 9 5 4 61%
Gama 9 7 2 3 2 8 8 0 42%
Anapolina 7 6 2 1 3 8 10 -2 38%
Tocantinópolis 4 6 1 1 4 6 12 -6 22%
GRUPO 6 P J V E D GP GC S %
Villa Nova 16 7 5 1 1 11 5 6 76%
Volta Redonda 9 6 2 3 1 6 2 4 50%
Sendas 8 7 2 2 3 9 7 2 38%
Formosa 8 6 2 2 2 2 5 -3 44%
São Mateus 2 6 0 2 4 3 12 -9 11%
GRUPO 7 P J V E D GP GC S %
Mirassol 14 7 4 2 1 6 4 2 66%
CENE-MS 10 6 3 1 2 11 9 2 55%
Oeste 8 6 2 2 2 7 6 1 44%
Operário-PR 7 6 2 1 3 3 5 -2 38%
Cerâmica 5 7 1 2 4 5 7 -2 23%
GRUPO 8 P J V E D GP GC S %
Juventude 16 7 5 1 1 18 7 11 76%
Cianorte 13 6 4 1 1 7 6 1 72%
Metropolitano 9 7 3 0 4 12 13 -1 42%
Brusque 7 6 2 1 3 5 10 -5 38%
Cruzeiro-RS 1 6 0 1 5 1 7 -6 5%

Projeção de Confrontos
(quartas de final) faltando 2 rodadas:
* O primeiro time tem mando de campo no jogo de volta

Penarol x São Raimundo-PA
Sampaio Corrêa x Cuiabá

Santa Cruz x Coruripe
Treze x Santa Cruz-RN

Itumbiara x Volta Redonda
Villa Nova x Tupi

Mirassol x Cianorte
Juventude x CENE-MS



Precisamos de uma vitória no próximo jogo contra o Brusque para garantir a primeira posição do grupo sem depender de resultados paralelos, que pode vir até com empate ou derrota por escore mínimo, dependendo da rodada deste final de semana. Mesmo assim, temos que manter os pés no chão, pois nada está ganho. Nosso prinicpal objetivo, o acesso a Série C, está apenas mais próximo, mas ainda temos 5 jogos, já contando com os "mata-mata", pra chegar lá. Foco total nisso. 2011 começa nossa retomada!

Tenho dito.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Manifesto de repúdio aos cuspidores

Felizmente os deuses verdes do Olimpo absolveram o Juventude em mais um episódio lamentável envolvendo selvagerias cometidas por uma pequena parcela da nossa torcida. E infelizmente sabemos que esses episódios acontecerão de novo.

Alguns ditos torcedores, que vão ao estádio para causar baderna, fazem questão de extravasarem todas as suas inseguranças no jogo, protegidos pelo anonimato, e quase colocam em risco o grande momento vivido pelo nosso time na competição.

Claro que conosco é mais difícil, pois um caso recente com um timeco aqui de Porto Alegre no clássico da baitolagem quando integrantes da torcida anteriormente conhecida como “Coligay” agrediram uma promotora e um juiz em pleno jogo com bombas e pouco se falou . Algo que se fosse na nossa casa seria motivo para perdermos mando de campo, na casa delas passa batido.

Cito ainda o nosso colega e grande juventudista Mateus Frizzo, falando na nossa lista interna de e-mails:


“A cusparada é um desrespeito sem tamanho, já demonstrei a minha indignação quanto a isso. Inaceitável. Dentro da minha mesma “Teoria da Vaia” há um subcapítulo dedicado ao xingamento ao bandeira e aos demais adversários que se aproximem do alambrado. A pressão psicológica só é efetiva se bem exercida, com argúcia. Por exemplo, falar que ele usa calcinha, é corno, feio ou fede a peixe são argumentos válidos. Só exemplos de um universo vasto e pouco explorado. Quando o erro é de real gravidade, e causa revolta, cabe uma ameaça maior do tipo “te pego na saída, seu canalha!”.

   

Voltando às cusparadas... Sou a favor até que pelos alto falantes advirtam a torcida no início dos próximos jogos, pedindo respeito ao torcedor. Seria constrangedor, é claro, mas já não é o suficiente? Ou mantenham as vidraças, pronto. Sugiro também que ao visualizar algum ato desses irresponsáveis, os verdadeiros torcedores façamos um levante imediato para expulsá-los do estádio. Aí, cabe quebrar o rigor."

Texto de Fernando Bassanesi, Cônsul do E.C. Juventude em Porto Alegre.

domingo, 28 de agosto de 2011

Quase classificado

Salve papada.
Pois não é que vencemos o Metrô, e de novo por 4 x 2? Jogando fora de casa pela terceira vez nessa Série D, conseguimos a nossa segunda vitória como visitante. E que vitória! Com ela, praticamente garantimos nossa classificação entre os dois primeiros do grupo A8, habilitando-se de vez para a fase de mata. Mais: assumimos a liderança do grupo (com um jogo a mais, eu sei) e tiramos um adversário direto da briga. O time de Blumenau agora se junta ao Cruzeiro-POA como os times do grupo que apenas cumprem tabela.
Tive o prazer de acompanhar pela Rádio Caxias a narração do jogo acompanhado de outros colegas de Consulado. Reunidos na casa do Cônsul Fernando Bassanesi, curtimos a goleada alviverde saboreando uma ceva gelada e um churrasquinho daqueles. E ver ou ouvir jogos do Juventude na companhia de outros papos é sempre melhor. Aliás, baita iniciativa do Juventude em possibilitar à alguns papos que não puderam seguir a SC ver o jogo do estádio fazê-lo em um bar, por meio da TV Papo. Espero que essa experiência de sucesso se repita e que mais juventudistas possam ter acesso a essa inovação.
Quanto ao jogo, passo apenas algumas impressões pessoais, baseadas na narração da Caxias e no vídeo com os melhores momentos do site Folha Ca-Ju. O Juventude, quando soube se impor e levar o jogo a sério, foi soberano e não sofreu ameaça de derrota. Apenas no 2 a 0 e no 3 a 1, quando levamos, respectivamente, o primeiro e segundo gols do Metrô, deixamos a desejar. Aliás, aqui fica uma observação: nossa zaga precisa entrar mais ligada e parar de falhar. Incluo junto nessa conta o Jonatas. A tendência é de que enfrentemos adversários mais qualificados daqui pra frente e, daí sim, qualquer rateada pode ser fatal.
Já no ataque temos sido efetivos. Zulu, com 2 gols de puro oportunismo, mostrou que, quando bem fisicamente, é centroavante. Aqui faço um parêntesis: cada dia que passa me convença mais de que o nosso 9 tava jogando o Gauchão baleado. Madureira e Cristiano, afinados, fizeram a sua parte, tabelando, trabalhando junto, aparecendo e concluindo a gol. E o paraguaio Nico entrou de novo bem, marcando um golaço.
Com tudo isso, não consigo imaginar menos do que nosso melhor público na Série D até agora diante do Cianorte no próximo sábado. Jogo que, além de confirmar nossa classificação, pode nos deixar muito, mas muito perto da primeira posição do grupo. Só que pra isso é preciso vencer. E com a força da papada no Jaconi a tarefa será, sem dúvida, muito mais fácil de ser atingida. Por isso, todos lá. Eu vou, e você?
Tenho dito.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Tá ruim mas tá bom...

Salve papada.
E não é que conseguimos de novo perder pontos pra lanterna? Menos mal que no domingo o Cianorte fez o dever de casa e venceu o Metropolitano. Digo menos mal porque acho que o time do Paraná já se garantiu a próxima fase da Série D, cabendo ao Juventude e ao próprio Metrô a briga pela segunda vaga. O Brusque, com apenas 4 pontos, corre por fora.
Pois lá estávamos nós de novo no sábado acompanhando do Jaconi a partida, que começou com pinta de goleada e terminou com frustração. A mexida na escalação inicial surtiu efeito oposto ao esperado por todos os papos, muito mais por falta de assimilação do esquema por parte dos jogadores do que do esquema em si. Ao invés de termos os 2 meias chegando a frente e se apresentando como alternativa, ocorreu o oposto: Cristiano desapareceu e a turma de trás preferia a ligação direta a usar os meias. Assim, somado ao desfalque desde logo cedo do Alex Telles, tivemos as dificuldades da partida majoradas.
Ademais, o Cruzeirinho, sentindo nosso vacilo, começou a gostar do jogo e, especialmente no segundo tempo, fez mais do que havia feito em toda a competição até então. Não só empatou o jogo, como conseguiu manter a sua proposta, se fechando bem e saindo na boa. Apenas com as outras mexidas no time, em especial a do Aidar, é que começamos a empilhar chances de gol.
No final, acabou prevalescendo a nossa sina de ressuscitar mortos. Agora, mesmo com o empate, estamos com a nossa situação muito bem encaminhada. Espero que consigamos no próximo sábado arrancar pontos (de preferência 3) fora de casa. Isso acontecendo, apenas uma catástrofe daquelas pra nos tirar a classificação. É aguardar e torcer.
Tenho dito.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Mudança à Vista?

Há alguns minutos encerrou-se o treino realizado no Alfredo Jaconi para definição da equipe que Picoli colocará em campo diante do Cruzeiro, na fria tarde do próximo sábado em Caxias do Sul.
A maior parte do treino teve os portões fechados, assim como o preparatório para a última partida, diante do Metropolitano, quando o time que iniciou a partida não teve maiores alterações, com exceção da entrada de Alex Telles, que retornou após cumprir suspensão pela expulsão na derrota diante do Cianorte, fora de casa.
Mas desta vez a expectativa por parte da papada, principalmente pela segunda etapa do último confronto, é que o time alviverde entre em campo mais ofensivo. As boas atuações de Nico Martinez e David Lopez devem ter deixado nosso técnico com uma grande interrogação na cabeça, assim como na torcida.
Quando os portões se abriram o time titular do Juventude estava em campo com: Jonatas; Pico, Rafael, Fred e Alex; Umberto, Maringá, Cristiano e David; Madureira e Zulu. Até o final do treinamento, poucos minutos depois, a única alteração na equipe foi a entrada de Celsinho no lugar de Pico.
Apesar das mudanças, em relação ao time que vinha jogando, a parte fechada do treino pode ter ocorrido com outra formação, conservadora ou até uma terceira equipe. Talvez hoje a interrogação que se fazia presente nos pensamentos do comandante papo tenha desaparecido, porém para a papada somente no sábado às 17h. Estaremos lá!
Texto de Guilherme Molin

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Pesar...

Salve papada
Foi com imensa surpresa e consternação que recebi hoje a notícia do falecimento do Everton Padilha. O Padilhão, como era conhecido, sempre foi visto como uma pessoa polêmica e de opiniões fortes. Presente na vida do nosso clube desde sua infância, era inegavelmente um apaixonado pelas cores e assuntos alviverdes. Com certeza, um grande Juventudista.
Não tive muito contato com ele, mesmo nesses últimos anos nos quais frequento as reuniões do Conselho Deliberativo. Mas reconheço sua coragem de falar o que pensa e ser firme em suas convicções. Escrevi num comentário no blog do Ju no Globo.com no qual ele tinha uma coluna semanal que nesse momento concordar ou não com o que ele falava ou escrevia não é o que importa. E sim seu exemplo de dedicação as coisas do nosso E.C.Juventude.
Deixo aqui uma singela, porém sincera, mensagem de conforto aos seus familiares. Que Deus dê a força necessária a vocês para suportar esse momento de perda. Que não é só de vocês, mas, de algum jeito, de toda família esmeraldina.
Tenho dito.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Que jogo!

Salve papada.
O que foi aquilo sábado no Jaconi? Que jogo foi aquele?
Emocionante! Indescritível! Empolgante! Uma vitória pra lavar a alma da papada! Como disse o nosso camisa 10 após a epopeia: "Uma vitória com cara de acesso". E foi mesmo.
E essa partida pode e deve ser encarada como um balisador, um divisor de águas. Primeiro, se alguém ainda achava que a gente podia levar essa Série D de barbada, depois do sufoco que foi a partida contra o Metropolitano com certeza mudou de ideia. Segundo, mesmo sendo difícil, terminamos o primeiro turno dentro da zona de classificação e, de quebra, com o melhor ataque da competição - o que comprova que o caminho até então é mais de acertos que de equívocos.
Sabemos que nem tudo são flores. Nosso sistema defensivo, mesmo com dois zagueiros e três volantes, tomou dois gols de contra-ataque, em situações perfeitamente evitáveis. Nosso controle de jogo na primeira etapa não foi incisivo, a ponto de termos ido para o intervalo perdendo merecidamente.
É claro que houve vaias, afinal ninguém estava satisfeito com o 2 a 0 contra. Mas, pelo menos de onde eu estava sentado, eram bem menos consistentes do que em outros jogos num passado recente. Inclusive, houve muito mais xingamento ao trio de arbitragem (que não marcou falta de ataque no lance que originou o segundo gol do Metrô) do que a equipe.
Agora, há de se destacar o primor que foi a etapa complementar alviverde. E muito por mérito do Piccoli. Nosso treinador, que corretamente vem mantendo o time-base e o esquema de jogo, fez a leitura da situação e foi cirúrgico. Soube ousar na entrada do Nico, e correu riscos para entrar o Lopez, transformando o time do Juventude em uma "bagunça organizada". Empatamos e viramos o jogo num 3-3-4, com o Alex Telles guardando um pouco mais posição, e o Pico se juntando a Jardel e Lopez no meio. E se via que aquilo estava treinado, com os jogadores sabendo o que fazer na situação que se encontrava.
Porém, quero destacar a entrega dos jogadores e a sinergia com a papada no estádio. Antes, perdíamos jogos e/ou pontos nos minutos finais. Agora é o contrário: enquanto o juiz não apita, estamos na parada. E isso cria uma corrente que contagia a todos e faz os adversários sentirem. Pra ilustrar isso, deixo uma perguntinha no ar: contabilizem quantos jogos, desde a estreia do Piccoli no comando técnico, que vencemos de virada. Incrível, não?
De todas as certezas que ficaram dessa partida, a mais importante é que, quem foi ao Jaconi vai fazer de tudo pra ir de novo no sábado (?) que vem, e quem não foi vai tentar dar um jeitinho de ir. Quem sabe um público maior ainda empurrando o time em busca do encaminhamento da vaga? Os Papos da Capital vão certo! E você?
Tenho dito.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Papos na(da) Capital

Salve papada!
Algumas imagens da bela festa que a papada da capital fez no Passo D'Areia no sábado.











Que sirvam de inspiração para entupirmos as arquibancadas do Jaconi no próximo jogo.
Tenho dito.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Vitória! Vitória! Vitória!

Salve papada!
Nada como voltarmos a vencer! E fora de casa, como há tempos não fazíamos em competições nacionais. Fomos superiores o jogo todo e, tirando um ou outro lance de ataque do Cruzeiro no primeiro tempo, fomos amplamente superiores. Dentro e fora de campo, inclusive. A Papada apareceu na tarde ensolarada da capital, colocando quase 500 abnegados apaixonados alviverdes nas arquibancadas moduladas do Passo D'Areia. Aliás, fosse mais seguro vir a POA para os jogos contra a duplinha do mal, essa gente toda seria a tônica, sem dúvida. Um dos preços da rivalidade acirrada dos últimos 20 anos.
Quanto ao jogo, algumas considerações a fazer. Primeiro, com relação ao palco da partida. É a primeira vez que assisto in lovo a uma partida profissional de futebol em um piso sintético. E não gostei. Futebol tem que ser na grama (ou no barro mesmo, na falta da primeira). O piso artificial muda toda a velocidade do jogo, travando ou acelerando lances de modo nada natural. Que essa moda não pegue.
Outra coisa: chega de reclamar de arbitragem. Os antigos "homens de preto" são ruins mesmo. Digo isso pois a arbiyragem marcou um pênalti a nosso favor, logo a 1 minuto da etapa complementar que nossa... Estava naquele lado da arquibancada, bem na linha do lance, e foi nítido que o lance foi cavado. Agora, se o juiz embarcou, tem que marcar, né seu Cristiano?
Falando no nosso meia, é inegável sua qualidade superior e poder de decidir um jogo em um ou dois lances. Só que o cara andou em campo sábado. Me pareceu muito desligado do jogo, com a cabeça em outro lugar. Alguém tem que chegar no ouvido do meia e dar uns toques pra ver se ele volta a aparecer. Bola a gente sabe que ele tem.
Agora é sábado que vem, no Jaconi. Com a papada em peso, vamos vencer e encaminhar a clasificação. Chegou nossa hora de fazer acontecer o que queremos: a volta do nosso Juventude.
Mais tarde posto algumas fotos do jogo.
Tenho dito

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Serviço de Jogo - Cruzeiro X JUVENTUDE

Bom dia!

Preparamos um material para quem vem de Caxias pela BR-116 apoiar o JUVENTUDE.
Nós estaremos lá na frente do estádio assando o nosso almoço a partir das 13h00.





Texto de Fernando Valle Bassanesi

sábado, 30 de julho de 2011

Espantando a uruca

Salve papada
Alguém lembra o que aconteceu em 24/10/2009? Não? Pois é, foi neste dia que o nosso Juventude venceu a sua última partida fora de casa pelo Campeonato Brasileiro, isso ainda pela 32ª rodada da Série B daquele ano. Jogando em MG, o alviverde venceu o time da casa por 1 a 0, com gol de Walker. De lá pra cá, atuamos mais 3 vezes fora de casa naquele ano sem conseguir os 3 pontos. Resultado: rebaixamento pra C. Em 2010, no pior ano da história alviverde, sem sombra de dúvida, conseguimos mais: 4 jogos sem vitória longe do Jaconi - pra quem não lembra, ganhamos apenas 3 partidas oficiais em 2010, duas pelo Gauchão! E por isso estamos na D hoje.
Lembro desses fatos para ilustrar a importância do jogo de logo mais. Vejo com certa apreensão movimentos por parte da nossa torcida em redes sociais. É claro que eu também fiquei muito faceiro com nossa estreia. Só que temos que ter em mente que não se ganha uma partida de futebol apenas na camisa, na tradição.
Confio nesse grupo, e sei que a equipe do Picoli tem condicões de voltar a Caxias com a vitória. Só que não são favas contadas. Foi dentro de campo que nos colocamos nessa situação, e é dentro dele que devemos sair.
Tenho dito

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Coice de Porco - 27/07

Salve papada,
Com tanto tempo entre uma partida e outra do nosso alviverde na largada da Série D, ha espaço de sobra para que tratemos vários assuntos. A intenção é não aprofundar muito nenhum deles no momento, e sim dar uma panorâmica nas notícias e outras novidades de relativa importância, todas de relance. Curto como coice de porco. Vá la:

Time-Base
Jonatas; Pico, Rafael, Fred e Alex Telles; Umberto, Jardel, Léo Maringá e Cristiano; Madureira e Zulu. Como é bom ter um time base. Um time pra papada decorar. E melhor: com peças de reposição a altura pra boa parte das posições, sem mudar drasticamente o padrão de jogo do time. Bom pro Picoli, que repete de novo a escalação e melhora o entrosamento, e pro torcedor também.

Categoria de Base
Enquanto a nossa retomada no cenário nacional como clube de futebol profissional depende muito da nossa afirmação esse ano, nas categorias de base a situação nunca teve melhor. Somos referência nessa área, e os resultados não param de aparecer. Fica o registro da ótima participação do Sub-15 Papo na Copa Brasil da categoria, a frente de grandes clubes nacionais. Sinal de que outras gerações vão surgir pra ajudar no crescimento do Juventude.

Pontos Fora
Tão importante quanto cravar 100% de aproveitamento nas 4 partidas em casa na primeira fase da Série D é a busca pela garimpagem de maior número de pontos possíveis fora de casa. Outras edições nesses moldes da Série C e D provam que quem souber aproveitar o fator local e pescal pontinhos como visitante tá com a mão na vaga. E tem que ser já, contra o Cianorte. Pode parecer óbvio, mas as vezes as obviedades tem que ser ditas.

Suspresas
Nesse jogo no interior do Paraná vai ser difícil ver Papos da Capital em um número relevante. Mas para o jogo seguinte, no Passo da Areia, estaremos exercendo nosso papel como Consulado Oficial do Juventude em Porto Alegre, recebendo a todos os papos que pra cá vierem. E já estamos bolando uma que outra coisinha diferente pra receber a papada. Aguardem.

Passado de Glórias I
"Rudimar, boa noite.
Convido para o lançamento do livro "Almanaque do Juventude - período de glórias", a ser realizado no dia 28 de julho (quinta-feira), a partir das 18:30h, na livraria do Maneco, rua Marechal Floriano, 879, Caxias do Sul.
Chame seus amigos, parentes, vizinhos... para comparecer ao evento, pois além da sessão de autógrafos, também haverá uma mesa-redonda com a presença de ex-campeões que fizeram a história do Juventude no período da Parmalat.
Conto com a sua presença e por gentileza, divulgue no blog Papos da Capital.
Abraços
Gustavo Côrtes"


Passado de Glórias II


Tá feito o registro. Prestigiem! Vai valer a pena relembrar bons momentos. Poucos times no Brasil podem ser orgulhar do passado como o nosso. O que nos dá a certeza de um futuro brilhante. Pode estar demorando mais do que gostaríamos, mas logo, logo, olharems pra trás e veremos esse período atual como um hiato, um aprendizado pra voltar a brilhar.

Tenho dito.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Rodada da folga

Salve papada
Dessa vez, ao contrário da semana passada, o final de semana não teve emocões dentro de campo para o time do Juventude. A folga nessa segunda rodada possibilitou ao clube marcar um amistoso contra o Zequinha para "pegar a manha" da grama artificial, palco da partida da quarta rodada, cujo adversário é o Cruzeiro. Porém, mesmo sem jogar, a rodada foi de resultados bons para o alviverde.
Antes disso, quero reiterar meu descontentamento (mais uma vez) com essa fórmula de disputa da Série D. Não posso conceber que essa seja a única solução para as divisões ditas menores do Campeonato Brasileiro. Torneios de tiro curto, regionalizados, que fazem um time ter 15 dias entre uma partida e outra, mesmo depois de quase 3 meses sem jogar oficialmente, estão longe de ser o ideal. Mas enfim...
Voltando ao assunto inicial: na segunda rodada as coisas já parecem começar a clarear, e dá pra ter uma noção de quem é quem dentro da competição. O Cianorte tá com pinta de que vai incomodar. Chegou aos 4 pontos e assumiu a liderança da chave, ao empatar com o Brusque em SC. Outro que conseguiu um importante resultado foi o Metropolitano. Na sua estreia, venceu o estrelado da capital em pleno Passo da Areia, marcando 3 importantíssimos pontos fora de casa. Já o Cruzeiro perdeu a segunda seguida, segue sem marcar pontos e compromete muito suas pretenções de classificação.
Com isso, ficamos em segundo lugar no grupo, empatado em 3 pontos com a equipe de Blumenau, porém com melhor saldo. Mas temos a chance de, vencendo o jogo no PR, assumir a liderança. E como é importante marcar pontos fora. Por isso, mesmo achando que temos condições de vencer fora de casa, não considero o empate tão mal reaultado assim. Acredito que 4 pontos nos próximos 2 jogos nos colocam em uma situação bastante animadora em termos de classificação. Lembrando que classificam 2 por grupo para fase de mata-mata, que é onde se decide o acesso. Até lá, seguomos confiantes e atentos. Tá mais do que na hora do vento voltar a soprar a nosso favor.
Tenho dito.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Reconhecimento na mídia

Papada,


Gostaria de fazer esse post apenas para ressaltar o reconhecimento que o Juventude tem tido na imensa maioria da mídia nacional. Num dos sites esportivos mais importantes do país (o Globoesporte.com), a matéria sobre a Série D tem amplo reconhecimento a Juventude (inclusive no título da matéria) e Santa Cruz, os dois times de maior tradição desta série. Veja o link, leitura recomendada: http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-d/noticia/2011/07/serie-d-comeca-com-juventude-e-santa-buscando-o-renascimento.html


É, estamos na última série, mas o país inteiro sabe do que somos capazes. Vamos manter a humildade e galgar um a um os degraus da nossa volta.


A título de comparação, o nosso co-irmão sequer é citado na matéria sobre a série C, e olha que eu procurei por vários nomes (Flamengo, Juvenil, Caxias do Sul, etc), pois nunca lembro qual o nome em vigor atualmente: http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-c/noticia/2011/07/repleta-de-figurinhas-carimbadas-serie-c-comeca-neste-sabado.html


O tempo passa, as coisas acontecem, mas no fundo, no fundo, nada muda. Só um dos times do interior conquistou o Brasil.


Dá-lhe, Papo!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Resposta

Salve Papada
Foi de lavar a alma!
Nada como uma estreia dessas pra levantar a moral de todos os Juventudistas. Os mais de 3500 torcedores que puderam, como eu, acompanhar do campo a partida de sábado, sabem bem do que estou falando. O Juventude não deu sopa pro azar e patrolou seu adversário da estreia. Com um futebol coletivo interessante, aliado a vários destaques individuais positivos e a fragilidade apresentada pelo oponente, fizemos mais do que os 3 pontos. Fizemos o dever de casa com sobra. Ganhamos e jogamos bem. Fizemos saldo, não tomamos gols (apesar de pequenos e exparsos sustos) e, principalmente, fomos efetivos em boa parte dos lances de ataque, principalmente no primeiro tempo.
O futebol, assim como a vida e as pessoas, não é sempre algo justo. Mas no sábado a justiça imperou no Jaconi. Aproveito pra fazer justiça ao nosso centroavante. O camisa 9 Zulu, criticado por muitos pela inoperância e falta de gols (inclusive por este que vos fala), mandou um "cala boca" daqueles! Gol no início, retenção de bola e armação de tabela e jogadas com os companheiros foram apenas algumas das qualidades apresentadas por ele. Pra mim, apesar dos dois gols do Cristiano, foi o melhor em campo disparado.
Destaco ainda o ótimo futebol do Alex Telles. O guri jogou muito, aproveitando os espaços dados pelo Brusque e indo ao ataque com a naturalidade de um veterano. Espero apenas que consigamos segurá-lo até o fim da Série D.
Pra não ficar só nos elogios, uma coisa me chamou a atenção e deve ser corrigida: em alguns momentos do jogo, quando ainda não estava definido, tivemos uma dificuldade em bolas na intermediária de defesa - a segunda bola. Este erro, recorrente desde os tempos do Gauchão, pode ser corrigido nos treinos, mas é preciso atenção. Não pode o Umberto recuar quase como um terceiro zagueiro e nem Jardel nem Léo Maringá não aproximar um pouco quando estivermos sendo atacados.
No mais, agora é curtir esses 15 dias até o próximo compromisso diante do Cianorte, que como nós fez o dever de casa e faturou 3 pontos. E pensar que tem time na cidade que não pode ver verde que entrega a rapadura...
Tenho dito

domingo, 10 de julho de 2011

Agora é "às verda"!

Salve Papada
Acabou a brincadeira. Com o empate em zero diante da Chapecoense na Arena Condá (que mais parecia a Arena de Copacabana, tamanha areia!) ontem, agora entramos na semana de estreia do Campeonato Brasileiro da Série D. E atenção: de acordo com o último ofício da CBF em seu site, a tabela dos nossos jogos sofreu alterações. Portanto, salvo outra mudança, esse é o calendário esmeraldino da Primeira Fase:

Grupo A8:
1ª Rodada 16/07 Sábado 17h - JUVENTUDE X Brusque
2ª Rodada folga
3ª Rodada 31/07 Domingo 16h - Cianorte X JUVENTUDE
4ª Rodada 06/08 Sábado 15h - Cruzeiro X JUVENTUDE
5ª Rodada 13/08 Sábado 17h - JUVENTUDE X Metropolitano
6ª Rodada 20/08 Sábado 17h - JUVENTUDE X Cruzeiro
7ª Rodada 28/08 Domingo 16h - Metropolitano X JUENTUDE
8ª Rodada 03/09 Sábado 17h - JUVENTUDE X Cianorte
9ª Rodada folga
10ªRodada 18/09 Domingo 16h - Brusque X JUVENTUDE

Resumindo, dos 2 jogos de julho, somente o de estreia é no Jaconi. Voltamos a jogar em casa 28 dias depois, já no meio de agosto. Mês esse que entramos em campo 4 vezes, sendo duas em casa. Já em setembro, mais dois jogos: um em casa, outro fora.
Dito isso, é redundante exaltar a importância de começar com o pé direito a competição. Além de ter que fazer prevalecer o Fator Jaconi, precisamos muito dos 3 pontos pois folgamos na segunda rodada. Não gosto muito de pensar nisso, mas a fórmula de disputa da série C 2010 era igual a da D 2011 e começava exatamente assim, com o JU folgando na segunda rodada. Naquela ocasião, empatamos na estreia em casa, e já entramos na 3ª rodada na lanterna do grupo, "na obriga". O final, todos sabem, deu no que deu.
Acredito que 14 pontos são mais que suficientes para garantir a classificação, mesmo que seja em segundo do grupo. Por isso, a meta tem que ser, antes de mais nada, buscar os 100% em casa e beliscar algo fora. Esperamos tanto por esse momento de ver o Ju voltando a jogar uma partida oficial, que não imagino outra coisa se não o Jaconi pintado de verde e branco, pronto pra apoiar o time. Daqui de Porto Alegre vamos puxar Caravana ao longo da semana e comparecer, e tenho certeza que a papada de Caxias também fará bonito na arquibancada, apoiando o jogo todo e indo embora feliz comemorando uma vitória, quase 90 dias depois.

Papada em peso ajudando o time (fonte: arquivo pessoal)

Tenho dito.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Ainda faltam 10 dias!

Salve Papada
Uma semana e meia ainda nos separam do nosso primeiro compromisso oficial do segundo semestre de 2011. A estreia diante do Brusque no Jaconi dia 17 é mais do que aguardada pela papada. É desejada, ansiada, almejada. É quase uma obsessão. Porém, enquanto não chega o fatídico dia 17 de julho de 2011, vamos observando o time em amistosos.
Mesmo a distância, li e escutei muitas coisas sobre os dois últimos jogos do Juventude. A derrota em casa diante da Chapecoense, de virada e no segundo tempo, deixou uma má impressão naqueles que assistiram a partida das arquibancadas. Muitos, inclusive, se preocuparam, na minha opinião, demasiadamente, já que era público e notório que os amistosos até aquele momento estavam servindo para observações do Picoli.
Pois bem, veio o segundo jogo diante do Brasilzinho da Zona Sul e, de novo, vencemos por diferença mínima. Só que dessa vez, os relatos de alguns que lá estiveram foram mais animadores. Até porque nosso treinador já havia anunciado que a fase de experimentações havia se acabado, e que o time seria desse jogo em diante o mais próximo possível do titular para a Série D.
Agora faltam 2 amistosos para arrumar a casa. O primeiro, contra o Esportivo na quinta, já é o da equipe base para a Copa FGF - mas que deve servir de parâmetro para a Comissão Técnica principal na observação do elenco. Aliás, essa decisão de "partir ao meio" o elenco esmeraldino, criando novamente o Time B é, no mímimo, polêmica. Se esse time for tratado como aspirantes, cobrando o máximo empenho de todos, acho uma decisão válida (mas isso é assunto até pra um outro post, mais no futuro, quem sabe). O segundo, no sábado em Chapeço contra nosso último algoz, será provavelmente o derradeiro teste de fogo para a equipe principal. Dali, uma semana nos separará da estreia. E esperamos que, ao contrário do ano passado, essa já venha acompanhada de 3 pontos e uma atuação convincente e animadora. Agora, uma certeza eu tenho: a Papada estára em peso e dedicando todo apoio para o Juventude.
Tenho dito.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

98 Anos de Glórias

Salve papada
Como não estar feliz hoje? Nosso amado e único Esporte Clube Juventude está de aniversário. São 98 anos de lutas, superação e conquistas. Percalços tivemos - e todo clube de futebol terá os seus. Mas hoje é dia de dar um tempo para o nosso sofrimento atual dentro das quatro linhas (que é passageiro e acaba logo, escrevam!). É dia de comemorar! Poucos clubes no Brasil tem a história e tradição que trazemos no peito. Menos ainda são os times "longe demais das capitais" que podem encher a boca enumerando seus triunfos. E no RS somos únicos. Nenhum clube fora duplinha do mal fez o que fez o nosso Verdão Caxiense. Temos duas conquistas nacionais, duas participações em torneios continentais de clubes, inúmeros anos na elite nacional e um título invicto do regional. Por isso papada, não baixemos a cabeça. Nossa fase braba vai passar. Pensem: pior àqueles que apenas podem comemorar nossa queda. Tendo que se sujeitar em ser um time de terceira, e não como nós, que sabemos que isso é uma fase ruim, apenas.
Parabéns Papada! Parabéns E.C. Juventude! Aos que puderem participar do jantar de aniversário de logo mais, que tenham uma ótima e emocionante noite. Com a certeza de que somos abençoados por torcer sempre e somente para o nosso JU!
Aproveito para saudar aos corajosos guerreiros que curtiram a friaca de ontem no Jaconi. Pelo menos, puderam ver a vitória alviverde (com direito a gols dos 2 atacantes!), mais uma nesses confrontos contra times menores da Segundona Gaúcha. Aliás, agradeço ao Brasilzinho de Pelotas pela disponibilidade do enfrentamento nesse jogo comemorativo, onde se mostraram bastante agueridos. Que não amarelem e se imponham contra os demais times da cidade. Com essa bola que jogaram contra o Campeão do Interior, com certeza fazem frente a eles.
Tenho dito

domingo, 26 de junho de 2011

Não dá pra deixar passar...

Salve Papada
Chegamos na semana mais importante do ano: a do aniversário do glorioso Esporte Clube Juventude! E nela temos, além do jantar comemorativo no dia 29, dois jogos amistosos - contra Brasil-Pel e Chapecoense, ambos no Jaconi. O primeiro, já nessa terça, e o outro no sábado. E mesmo com todo o frio desse começo de inverno acredito que a papada vai prestigiar o time nesses dois confrontos.
Só que nem tudo é festa. Alguns acontecimentos desse mês me deixaram um pouco mais indignado que o normal. E todos eles vinculados a nossa Federação e seu presidente. Em primeiro lugar, ficamos mais de mês sem o site oficial da FGF. A desculpa era de que nova versão ia ser colocada no ar. E o fizeram: o que já era ruim ficou pior. Nada prático e sem informações relevantes. Traduzindo: poderia ter continuado fora se era pra voltar assim...
Outra questão é a Copa FGF, batiza de Copa Lacy Ughini. Mesmo achando que o nome deveria homenagear nosso Patrono Willy Sanvitto, entendo a homenagem a primeira mulher vice-presidente da FGF. O que não dá pra entender é como até agora nem tabela muito menos regulamento da competição foram divulgados. Lembrando que o Estatuto do Torcedor exige que sejam publicados 60 dias antes do inicio da competição. Logo, não estranhem essa Copinha começar lá por Outubro! Pra quem não lembra, ela vale vaga pra Copa do Brasil 2013 e Brasileiro Série D 2012. Portanto, tem sua importância.
Por fim, e com certeza a pior de todas, a pataquada da reeleição do homi da FGF. O "Hugo Chaves dos Pampas" foi reconduzido a mais 4 anos de mandato. Mas pior que isso foi seu discurso. Nele, o mandatáro do futebol gaúcho disse que desde que assumiu nenhum clube foi campeão brasileiro e que, caso isso acontecesse, pagaria uma viagem de 15 dias para o treinador campeão AS CUSTAS DA FEDERAÇÃO. Sem cometer injustiça, o Dr. Presidente arrumou o Gauchão, fazendo dele interessante e rentável como nunca foi. Só que desde 2001 - seu primeiro ano - o futebol gaúcho encolheu. Em 2000 tínhamos 3 times na Série A Nacional e 2 na B, fora o resto. Hoje, nossa representação de resume a 2 times na A e 2 na C, além de Juventude e outros 2 na D. E o querido, achando que tá bom, decide enfiar grana pra quem não precisa!
Por isso ressalto que, enquanto essa filosofia de trabalho continuar na Federação, é a isso que se resumira o apoio ao futebol do interior: descaso.
Tenho dito

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Saindo da rotina

Salve papada
Logo mais aqui na Capital de todos (?) os gaúchos teremos o esperado primeiro bom teste da intertemporada do nosso Ju. Confesso que gostaria de estar presente no gramado suplementar do Olímpico para acompanhar de perto como anda a evolução tática e técnica da equipe. Porém, compromissos profissionais me impedirão de fazê-lo. Mas já sabemos de antemão que vai ter papo da capital lá presente pra ver o nosso time. Quem sabe, aparece algum comentário logo depois do jogo por aqui?
Pelas notícias que vem dos últimos treinos, teremos duas equipes alviverdes em campo; uma em cada tempo. Chance pra acompanhar as novas contratações, em especial os estrangeiros, que devem jogar no segundo tempo. Só que o que mais desperta minha curiosidade é a formação inicial do meio-campo anunciada pelo Picoli.
Nosso treinador já havia dado pistas de que planejava implantar um novo esquema de jogo após o final do Gauchão. A formação em losango, com Léo Maringa de 1° homem do meio, Jardel e Jander pelos lados, e fechando com o Cristiano lá na ponta próxima ao ataque, surge como solução na buaca de equilíbrio do time. Agora, quero ver se haverá aproximação com o ataque, já que Zulu e Madureira vão precisar ser acionados e ter parceria nas jogadas lá da frente. Se for pra jogar assim como se fosse com 3 volantes, o Cristiano não conseguirá sozinho fazer a ligação meio-ataque. Agora, também não dá pra esquecer que o Maringá não tem como especialidade jogar de 1° homem, e vai precisar de ajuda pra marcar e dominar o meio.
Mesmo com esses desafios, confesso que estou motivado e esperançoso. Vamos com tudo aproveitar os testes e ficar nos trinques para 17/7, na estreia do Brasileiro. Que essa esperança vá crescendo até lá e se torne convicção no acesso.
Tenho dito

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Contagem regresssiva: 1 mês!

Salve Papada
Tá angustiante essa espera, não? E ainda faltam exatos 30 dias pra bola rolar valendo 3 pontos. Como se não bastasse essa agonia, nem um adversário pra amistoso estamos conseguindo. Falaram em União Frederiquense, mas melou. Ventilaram a possibilidade de 2 jogos contra os Xavantes, mas não passou de especulação até agora. Parece que o mais provável é enfrentar em jogo-treino os reservas do GFPA aqui na capital no meio da semana, mas nem isso é certo. Nem o enfrentamento com o Sindicato dos Atletas, que sempre surge como alternativa nessas horas, sai. E o tempo correndo. Começamos a preparação cedo, mas não conseguimos simular em amistosos situações reais de jogo, que são mais difíceis de acontecer apenas com as rotinas de treinamento. Eu queria ver esse time jogando algumas vezes antes do pega pra capar que vai ser a Série D. Precisamos estar bem preparados e testados.
Aliás, diga-se de passagem: bem boa a reportagem no Pioneiro de hoje sobre esse mesmo assunto. Quem ainda não viu, dá uma olhada aqui, principalmente nos quadrinhos dos adversários (no final da reportagem). Pelo visto, a coisa não anda muito diferente da nossa lá nas bandas dos outros integrantes do grupo. E azar é o deles. Que continuem com dificuldades!
Voltando aos amistosos - ou a falta deles, como queiram - será que não dava pra fazer um joguinho com a turma do Cemita? Eles também estão com dificuldades de achar parceiros pra jogos-treino, e uma partida contra eles quase não geraria custo pra nenhum dos lados. O único senão é que não daria pra chamar de amistoso, né? Será que ninguém pensou nisso antes? Ou pensou, mas algum dos lados tem receio de fazer um derby em periodo de preparação?

Não precisa ser no Jaconi. Pode ser na casa deles...

Outro que daria pra ventilar a possibilidade de amistoso é o Glória. Tá na mesma situação do União e do Brasil (recém eliminados da segundona), com a vantagem de Vacaria ser mais perto que Pelotas e Frederico Westphalen. E tem outros times se preparando pra Copa FGF, como o Novo Hamburgo e o Pelotas, pra citar apenas dois, que seriam outras alternativas não tão complicadas. O importante é achar alguém, e logo. Sob pena de "atrasar o ponto" da nossa preparação.
Tenho dito.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Altura importa?

Salve papada.
Por curiosidade, andei dando uma olhada na estatura do nosso plantel. Confesso que fiz isso motivado pela contratação dos "chicos" Martinez e Lopez, anunciados como reforços há pouco pela Direção. Nosso grupo tem uma média de altura de 1,80m, o que não considero baixa nem alta, pelo menos pros padrões de estatura geral. Nossos 3 goleiros, todos com 1,85m pra cima, elevam nossa média. Separei abaixo os 5 maiores e menores jogadores 'de linha':

Maiores (Posição) altura (m)
Zulu (A) 1,91
Fred (Z) 1,89
Léo Maringá (V) 1,88
Telê (A) 1,86
Bruno Salvador (Z) 1,84

Menores (Posição) altura (m)
Ramiro (M) 1,68
Anderson Pico (L) 1,69
Nicolás Martinez (M) 1,72
David Lopez (M) 1,73
Rodrigo Crasso (L) 1,73

Impressiona o fato de que os "baixinhos" estão concentrados nas laterais e meio-campo. E não sei até onde isso é coincidência. Normalmente, jogadores altos e de porte físico mais avantajado tem características distintas dos menores fisicamente. Enquanto os primeiros geralmente se destacam pela força física, imposição e melhor bola aérea, os demais costumam ser mais ágeis e velocistas. E talvez a montagem do meio e alas pra essa Série D pelo Departamento de Futebol tenha levado isso em consideração. Pelo menos foi a impressão que me deu quando ouvi um dos últimos comentários do Picoli acerca do esquema de jogo a ser utilizado de agora em diante.
Outra coisa: nossa zaga não é alta. Tirando o Fred, os demais jogadores desse setor estão longe de serem considerados grandões. E provavelmente aqui encontra-se uma deficiência no nosso plantel. Em um futebol pegado e de muita marcação, aliado a gramados que não apresentam as melhores condições para a prática do esporte bretão - caso de boa parte dos estádios da Série D, com certeza -, as bolas aéreas acabam sendo armas muito usadas. Nesse caso, creio que seria mais prudente termos no nosso elenco pelo menos mais um defensor com essas características. Pelo menos.
O ideal é começar logo os testes mais fortes de intertemporada, até para expor alguma carência que por ventura esteja sendo maquiada nos treinamentos e jogos-treino de qualidade duvidosa. E, caso apareçam, ainda dá tempo de correções pontuais antes da estreia, lá no meio de julho. Até lá, vamos acompanhando, meio de longe, mas com atenção.
Tenho dito.