segunda-feira, 23 de setembro de 2013

O aCesso em imagens (e sons)




 
 






























 

video




Créditos: 
pioneiro.com
globoesporte.com
Rádio Caxias
Arquivos Pessoais dos "Papos da Capital"

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Testemunha de além-mar

Não há palavras para descrever o que se sentiu no Alfredo Jaconi ontem. Sobre quem sentiu de longe, o Mateus Frizzo tentará colocar em palavras.

Foi foda. Já é o segundo ano que estou longe. Ano passado acompanhei pela rádio aquela eliminação inacreditável em Cianorte. Lembro que comprei umas cervejinhas, vesti a camiseta, fiquei a postos só pra comemorar a classificação. Era só administrar, eu pensei. E fizemos a façanha de tomar três. Fiquei puto, prometi que ia dar um tempo, largar o futebol de mão pelo menos até a D do ano seguinte (se é que essa constaria no nosso calendário). Mas não deu, o Juventude é parte integrante de quem sou. Dia seguinte eu tava conferindo as notícias, procurando por qualquer informação adicional. Não deu, não tem como. Se eu fosse, sabe-se lá por que raios, proibido de torcer por esse time, ou obrigado a destacá-lo de meu cotidiano, muito do que sou se perderia. E é tarde demais para escolher um outro, as inicias ECJ já estão inseridas no meu DNA. Poderia, como meu ilustre parente, me declarar rossonero ou nerazzuri :P Poderia. Mas não dá. A copinha eu pude acompanhar pelas transmissões da TV Com. Papamos. Uma nesga de esperança surgiu num grupo que aparecia forte para disputa do Gauchão. Mas todos sabemos como acabou, e como (quase) sempre acaba. Bom, o plano era a Série D, e desse ano não passa. Daí a gurizada da base foi negociada com o Grêmio. Achei que não daria tempo de ser feita a manutenção do grupo. Acho que todo mundo compreende esse pessimismo que acompanha o torcedor. Nosso recente histórico nos maltrata.   

Fonte: Facebook dos Loucos da Papada

Quase dois anos longe e muita saudade. Saudade da família, dos amigos, mas uma saudade em especial, a do Jaconi. Ontem até lancei o apelo no grupo Jaconeros para que quem pudesse, compartilhasse uma foto, um vídeo, um comentário, qualquer coisa. Me dói estar longe, sabendo que meus gritos não farão coro, serão só meus, como o de um prisioneiro alucinado clamando justiça. Um anônimo a mais, numa terra distante, encerrado em casa, vestindo uma camiseta alviverde desconhecida e sorvendo um cervejinha gelada. Daqui de longe vejo como os pequenos rituais me fazem falta. Passei o final de semana pensando nesse jogo e em como eu gostaria de estar lá. 

O gol do Rafael Pereira saiu quando eu tava no banheiro dando uma mijada. Quando ouvi o grito de GOL eu corri até a sala e colei nas caixas de som, carcando o volume lá no alto pra que os vizinhos ouvissem. Nem as gotas de mijo escorrendo pela perna impediram a comemoração. Dos males da samba-canção. 1x0. Fiquei tranquilo, embora o resultado fosse perigoso, mas o dois a zero também seria. Que situação. E os guampa vão lá e me empatam. E de novo eu tava no banheiro! Dessa vez sacudi bem e me sentei, desapontado, mais uma vez desiludido. Mais um ano a mesma história, era só o que eu pensava. Mais um ano. Eu ouvia a torcida gritando "EU ACREDITO", e eu também acreditava, ou melhor, queria acreditar. Mas o tempo foi passando, e voava!, e quando vi chegou aos 40 minutos e a torcida ainda gritava "EU ACREDITO", mas tenho certeza, que como eu, muita gente já não acreditava mais. Eu pensava: é capaz de fazerem o segundo ainda, pra nos dar mais uma falsa esperança. Comemorei o primeiro gol do Zulu com um punho cerrado e só, e colei na rádio, as caixinhas de som vagabundas estourando. E cara, CARA! nem sei direito o que aconteceu, vou ver agora. O alvoroço da torcida e a narração emocionante da Caxias e bate rebate na área, a bola sobra pro negão e é GOL! GOL, CARALHO! GOOOOLLL! ZULU DE NOVO! Derrubei a lata no carpete, soquei a mesa de vidro, tirei a camiseta, saí porta afora e gritei para que toda Dublin ouvisse "É O JUVENTUDE, CARALHO! VAMO LÁ PORRA!".

Foi muita emoção o jogo de ontem, rapaziada. Eu daria UM centímetro de pau pra ter estado lá. E UM, em se tratando de pau, tá de bom tamanho, já que eu não tô esbanjando.

Ainda não conquistamos a vaga. Ainda temos duas peleias brabas pra encarar. Ainda vamos sofrer, se mijar, se escabelar, se babar, mas sairemos vencedores. A série C tá logo ali. Estamos próximos do nosso renascimento. E quando voltarmos podem ter certeza que estaremos mais fortes. Estaremos curtidos. Temerão aquele que foi ao inferno e voltou. E o inferno é verde, a nossa torcida mostrou isso ontem. Eu, que tantas vezes critiquei a torcida do Juventude, parabenizo todos os papos que estavam presentes ontem. Foi de arrepiar. Foi fundamental.

Hoje, segunda-feira, acho que não há quem não acredite mais.

Saudações esmeraldinas da Ilha Esmeralda, meu amigos. Prego a palavra PAPO por aqui, podem ficar tranquilos. Domingo que vem tem mais.

Abraços e boa sorte a nós, PAPOS!   

Mateus Frizzo

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Prefeito confirmado no Almoço!

Papada

E o prefeito em exercício de Porto Alegre, Sebastião Melo, confirmou presença no nosso almoço de domingo!!!

Gabriel Sturtz, Sebastião Melo, Fernando Frizzo e Fernando Bassanesi

Baita trabalho do Gabriel Sturtz. 

E você, já garantiu o seu ingresso?

Att
Fernando Bassanesi

segunda-feira, 20 de maio de 2013

ALMOÇO DOS 100 ANOS!


Falta pouco pessoal! Estamos nos puxando e o almoço promete! Quem tiver interesse, mande e-mail para paposdacapital@gmail.com ou nos procure no Facebook.

TEMOS QUE LOTAR A APCEF!

Saudações alviverdes
Fernando Bassanesi

domingo, 5 de maio de 2013

Internacional 0x0 Juventude


A dupla Gre-Nal é grande. Muito grande. Divide ao meio Estado e todo o dinheiro. Dinheiro da TV, dos grandes patrocinadores, de seu número gigante de sócios, do banco de "todos" os gaúchos e muito mais. Mas o Internacional não precisava de erros do Sr. Márcio Chagas para levar a Taça Farroupilha. Ou será que precisava?

Eu acho que precisou. O Juventude jogou melhor, bem melhor. E essa não é uma conclusão minha, mas de comentaristas esportivos diversos, inclusive da Capital. Confesso que li e ouvi umas 20 ou 30 análises do jogo, e foi quase unanimidade a superioridade do Juventude, que teve mais chances de gol do que o Inter.

Todos estes comentaristas também foram unânimes em outra análise: o gol do Juventude, aos 12 minutos do primeiro tempo, foi muito mal anulado. Reforço: li e ouvi muita gente, e TODOS concordaram. Todos exceto dois: o próprio juiz, em "entrevista" ao fim do jogo, onde estava ca(gando)minhando e andando enquanto falava, e o Sr. Mauricio Saraiva, da RBS. Apenas essas duas pessoas viram falta no lance. O Sr. Mauricio Saraiva, ainda, disse que a falta foi clara. Convenhamos. Do juiz não dá mesmo para esperar muita coisa, afinal, trata-se de um amador. Sua profissão não é ser árbitro. É ser professor de Educação Física. Ele, como tantos outros, encara a arbitragem como um "bico", ou então como um hobby. Não tem como querer cobrar muita coisa. Por isso que o Willians fez cai-cai o jogo inteiro (inclusive no gol anulado), por isso que o D'Alessandro apita o jogo inteiro e o juiz não tem coragem de fazer nada. Pois não é cobrado, treinado e remunerado à altura. Mas do "comentarista" da maior rede de televisão do Estado? É claro que é interesse da rede de televisão agradar à maioria, então façamos o seguinte: vamos acreditar que a TV, assim como a arbitragem, na dúvida pende para o lado da dupla. Assim, não chamamos ninguém de torcedor, nem de fraco e nem de incompetente.

E olha que o Juventude não perdeu só a taça, mas também o direito de decidir o campeonato e, por baixo, conforme bem lembrou nosso presidente, uns 500 mil reais entre renda, patrocínios, etc. Dinheiro que sustenta dois meses da nossa folha de pagamento, ou seja, um sexto do ano. Para o Internacional, não faz muita falta, pois paga apenas dois dias de sua folha de pagamento.

Ainda sobre a arbitragem: como nos últimos cem anos, muito se errou contra o Juventude neste campeonato. Muito mesmo. Quem torce para um time do Interior sabe disso: na dúvida, é pró-dupla. Mas o Juventude teve contra si erros gravíssimos também contra outros adversários. Então, é fazer como os jogadores falaram ao fim do jogo: o título de hoje, para nós, valeria infinitamente menos do que o acesso no Brasileiro que está aí. Mas que é legal dar um cagaço na dupla, isso é.

Depois de toda a polêmica sobre a arbitragem que o Grêmio e a imprensa da Capital armaram uma semana atrás, o mínimo que se esperaria é que fosse amplamente divulgado a GARFADA que o Juventude tomou hoje. Ainda mais que foi provado e comprovado que o árbitro da semana passada prejudicou o Juventude, e não o Grêmio, naquela partida. Nenhuma das reclamações azuis procede, enquanto que o gol gremista foi irregular e houve um pênalti infantil sonegado aos alviverdes. Vamos ver como repercute na imprensa o erro da arbitragem durante a semana.

Chega de arbitragem, mas seguimos no extra-campo: Mil e oitocentos calaram dezoito mil. Como foi bonito ver a torcida alviverde vibrando, cantando, e CALANDO o estádio que tantas vezes calamos, desta vez com outro "dono". É o que acontece quando vão a campo pessoas mais acostumadas ao acolchoado sofá do que à pedra da arquibancada. E teve ainda, na transmissão da RBS, torcedor que mesmo no estádio estava com o celular sintonizando a transmissão da TV. Vai ser torcedor de sofá assim lá na casa do ca***ho!

Entrando no mérito do futebol, coisa do qual pouco entendo: Lisca tem muitos méritos. Acertou o time, que não fazia gols no turno. No returno, o time fez muitos gols. O Juventude dominou (com a justa exceção da dupla Gre-Nal) todos os adversários do Interior. Jogou (bem) melhor do que Lajeadense, Novo Hamburgo, Veranópolis, Caxias, Passo Fundo, {insira aqui o nome de algum outro time}, etc. Sai do campeonato com apenas duas derrotas, e em ponto de bala para o Brasileiro. Deveremos perder alguns jogadores até lá, mas alguns dos destaques do Gauchão já têm pré-contrato conosco, e novidades devem surgir já amanhã.

A ressalva final fica a cargo do prefeito de Caxias do Sul, Sr. Alceu Barbosa Velho, que escolheu um belo fim-de-semana para visitar a concentração de um dos finalistas. Mas esperem, foi do finalista QUE NÃO É DA CIDADE! Entendemos que o Internacional está movimentando muita gente e muito dinheiro em Caxias do Sul, mas o caríssimo prefeito tem O ANO INTEIRO para visitar a concentração deles. Não precisaria fazer isso logo antes de um jogo decisivo contra UM TIME DA CIDADE. Lamentável, sr. Prefeito. Aposto que, nas próximas eleições, nenum alviverde sequer esquecerá disso. E nenhum grená também, eu espero.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Juventude 3x2 Novo Hamburgo


Salve, Papada!

Não fui ao jogo, mas tive o (des)prazer de acompanhar a transmissão da TV Com de cabo a rabo, então me sinto no direito de opinar.

Até os 20 minutos do segundo tempo, deu gosto de ver o jogo, mas não de ouvir (já explico o porquê). O Juventude amassou, tocou bola, criou, atacou pelas duas pontas. Não demos chance pro Novo Hamburgo, tanto que Fernando apenas assistiu ao jogo. Fora alguns balões desnecessários na zaga e um ou outro erro de passe que também não precisava, a atuação foi impecável. Metemos 3 gols e cabia mais. Até aquela maldita jogada de escanteio cobrado curto, que eu tanto abomino, deu certo na jogada do nosso primeiro gol. Ok, a zaga deles falhou tanto na cabeçada do Bergson quanto do Zulu, mas isso não é problema nosso. Aliás, Zulu marcou seu gol de número 50, se igualando ao Mário e ficando a apenas um do Mendes.

Depois disso, o Nóia cresceu. O Nóia, que estava longe de jogar bem fez o primeiro gol. O que eu vi foi: uma bola tocada de primeira nas costas do Alan pegou um atacante anilado no mano a mano com o Diogo. Nosso zagueiro foi driblado e não tinha muito o que fazer a não ser o pênalti. Com o gol, aí sim o Nóia veio pro tudo ou nada. E aí é que eu acho que erramos. Não pode se encolher desse jeito, tínhamos que ter ido pra cima deles e ter feito o 4x1. Mas, depois de um escanteio, a zaga não subiu e assistiu de camarote ao segundo gol do Nóia. O bom é que ficou por aí, apesar da conivência da arbitragem em algumas jogadas desleais da equipe do Vale.

A diminuição da diferença pode custar caro. Pode ajudar a levar a semifinal para longe do Jaconi, onde confirmamos 2 anos de invencibilidade no sábado.

Minha opinião: Gauchão é, sim, o laboratório para a Série D, mas é óbvio que temos que jogar para fazer nosso melhor (ou seja, tentar ir à final de qualquer jeito). Mas a reação do Canoas e do Nóia, dentro do Jaconi, me preocupam. Assim como a queda de rendimento contra o próprio Inter. O nosso grupo é forte. Carece de alguns reforços pontuais e ajustes, e tenho certeza que o Lisca já está a par disso. Dá, sim, para subir neste ano.

Agora é esperar o jogo de hoje para ver quem será o adversário, e brigar pela vaga na final.

Sobre a transmissão, é lamentável passar metade do jogo ouvindo bobagens sobre a dupla maldita e/ou comentários que parecem de alguém que foi ler alguma coisa sobre o Juventude uma hora antes do jogo.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

JUVENTUDE x inter

Boa noite PAPADA

Domingo é dia de jogo! E contra as coloradas!

Tenho certeza que vocês, assim como eu, como qualquer Papo, está com sangue (verde) nos olhos louco para ganhar dessas coloridas.

Óbvio que nós, Papos da Capital, não deixaríamos passar esta oportunidade de ir lá apoiar o nosso clube.
O pessoal lá da serra já bombou 3 ônibus, e nós vamos de kombi.

Sim, A KOMBASSA VOLTOU! Continua invicta, jamais perdemos um jogo indo de Kombi e não será desta vez que isto acontecerá. Inclusive, ainda temos vaga. Quem tiver interesse, fale comigo (papobassanesi@gmail.com).

Também assaremos uma carne no Vale do Taquari. Por isso, sairemos cedo de Porto ALegre



Wellington Nem / Adílio da Papada Viamão

Tenho dito, e vamo que eles tão cagado
Fernando Bassanesi

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Almoço de 100 Anos e otras cositas más

Bom dia PAPADA

Estávamos a um tempo sem atualizar o blog, então tentarei sumarizar o que se passou de um tempo para cá:

- Estamos no calendário oficial dos 100 anos do JUVENTUDE! O nosso almoço de aniversário será dia 2 de  junho, e abrirá o mês de comemoração do Jaconário. Esse churrasco será um mega-evento, na APCEF à beira do Guaíba. Mesmo local onde foi o almoço de homenagem ao Lauro. Terá jogo do Juventude pelo brasileiro fora de Caxias, portanto torceremos juntos. Comecem já a divulgar o evento para todos os Juventudistas, de Porto, Caxias e outros lugares. Tem que bombar! Aqui está o calendário no site do clube: http://tinyurl.com/boku4q4

- Estamos também organizando um Kart de integração no Velopark, conforme já foi feito anteriormente. Possivelmente com churrasco e jogo depois, principalmente se cruzarmos com o Lajeadense.

- Agora temos um perfil oficial no facebook. Não se esqueçam de nos adicionar para manter-se atualizados e mandar sugestões, críticas e cornetas (principalemente). https://www.facebook.com/PaposDaCapital

- O Twitter anda meio parado, mas mesmo assim estamos chegando nos 500 seguidores. Pessoal tem retuitado bastante e dado uma mão. twitter.com/paposdacapital

------------------

Quinta-feira o cônsul Guilherme Molin e o vice Fernando Frizzo vão reunir o pessoal todo para começarmos a preparar o almoço de junho. Todos são bem vindos, pois o trabalho é imenso e precisamos de voluntarios. Maiores detalhes na lista ou papobassanesi@gmail.com.

Sábado temos jogo. Vitória para continuar lutando por melhores colocações para jogar em casa no mata-mata. E para rebaixar de vez o Canoas. Apesar de ser bom para nós termos um jogo perto de Porto Alegre como era na ULBRA, esse timinho não merece estar na A do gauchão. Preparem sua agenda e seus bolsos, pois haverá caravana e quiçá churrasco.

Tenho dito, e vamo que eles tão cagado.


Fernando Bassanesi
Diretor de Logística
Consulado Juventudista em Porto Alegre






domingo, 3 de março de 2013

Pipoca?


Montagem genial: Matheus Adami Perozzo
Texto: Bassa

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Eficiência (y otras cositas mas)

Salve Papada
O título destaca o que faltou ao Juventude, resumidamente. Ao longo do campeonato todo, mas principalmente ontem. Ah, ontem...
As coisas pareciam que se desenhavam para um desfecho favorável aos alviverdes. Nossa torcida, mesmo em pouquíssimo número (o que pra mim foi o primeiro FIASCO do dia), chegou cedo as imediações do Vieirão.
Como de costume, os Papos da Capital estavam "de barraca armada" preparando um churras. A torcida local, que aparece em cima da hora e em pouca quantidade, provavelmente não esperava o que estava por vir.
Bola rolando e o Juventude, mesmo com uma proposta tática deficiente, insistindo em entrar em campo com um atacante e 3 volantes, em uma partida que só a vitória interessava, dominava as ações. Em um primeiro tempo xoxo, dá pra se dizer que as únicas chances (raras) eram verdes. O 'oxo' no placar era o resultado mais justo visto o apresentado pelas equipes: nada.
No segundo tempo, a coisa pouco mudou. A destacar um pequeno detalhe, porém decisivo. Uma das equipes queria ganhar. E eram os donos da casa.
Nosso treinador, que em muitas vezes fez mágica para fazer a equipe apresentar algo digno de aplausos, desta vez rateou. Ao manter o Zulu sozinho na frente, colocou vários jogadores em posições diferentes daquelas às quais eles rendem mais. Até Diogo Oliveira, ao meu ver o melhor do JU em campo até ser substituído, produziu menos que poderia se não estivesse escanteado em uma lateral do campo.
Por fim, o 2 a 0 saiu barato até. Perdemos o jogo, a invencibilidade, a classificação e, quem sabe, a grande chance de fazer algo a mais no Gauchão dos 100 anos. Até porque no segundo turno muitas equipes terão que mostrar mais do que até agora, incluindo aí os ditos "grandes da capital".
De longe, nos resta torcer que esses quase 30 dias de intertemporada forçada sirvam para, ao menos, voltarmos a ter vontade de vencer os jogos, principalmente fora de casa. E isso passa necessária mente por uma mudança na escalação, com um companheiro 'do lugar' para o Zulu.
Tenho dito.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

E a vitória veio!

Salve Papada!


Z9 marcando o 2 a 1 (fonte: pioneiro.com)


E não é que vencemos de novo no Jaconi? Mais que isso: fomos superiores e jogamos bem por boa parte do jogo. Não foi fácil, mas os 3 pontos - importantíssimos para a campanha no Gauchão - ficaram na conta esmeraldina.
Não pude estar em Caxias do Sul no sábado. Pela TV, acompanhei nosso alviverde querendo a vitória logo de início. E mesmo com um jogo truncado e com poucas chances de lado a lado, no geral da primera etapa houve um certo domínio esmeraldino frente ao GFPA, que, se não apareceu na Serra Gaúcha com força máxima no primeiro dia de feriadão de carnaval (e isso é problema deles), pelo menos montou um time de qualidade e com vontade de vencer, o que só engrandece mais a jornada do Ju.
No segundo tempo, as coisas se apresentaram bem diferentes. Numa espécie de toma lá, da cá, a partida ficou franca, com ambas as equipes empilhando boas chances para marcar. No final, o 2 a 1 para o JU ficou justo e de bom tamanho, pois realmente foi o melhor. Além disso, foi ótimo ver o Zulu desencantando. O nosso Z9 marcou dois gols que valeram, mais um que não, deu assitências, tabelou, meteu bola na trave, ajudou a defesa, enfim, voltou a ser o Z9. E a Papada com certeza saiu das arquibancadas do Jaconi com motivos de sobra para começar a folia.
Agora é esperar o complemento da terceira rodada nesta quarta-feira e torcer para que a combinação de resultados nos favoreça. Lembrando que as equipes do nosso grupo jogam as duas próximas partidas fora de casa, o que pode nos ajudar a classificar e melhorar a posição na tabela. Fora isso, é contagem regressiva para o jogo contra o Cerâmica em Gravataí, com certeza com um bom número de Papos da Capital presentes.
Temho dito.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Empatite

Salve Papada!
Como é bom voltar a escrever para esse blog. Pena essa nossa situação na tabela...
Não tenho conseguido acompanhar 'in loco' nosso alviverde como gostaria. Este último jogo, por exemplo, nem pelo rádio deu pra seguir (belo horário, hein Noveletto). Portanto, se alguém viu ou ouviu o jogo, sinta-se a vontade para comentá-lo neste espaço. Mas por alguns comentários pós-jogo que tive contato me deram a nítida impressão de 'Mais do Mesmo': o Juventude cria chances, é superior, tem mais posse de bola, dita o ritmo do jogo, mas não ganha!
Pudera. São 5 empates e apenas uma mísera vitória em 6 jogos nessa Taça Piratini. Agora, faltando 2 jogos, sendo um em casa contra o GFPA (A ou B, que seja), e outro fora contra o Cerâmica, ficamos na obrigação de fazer mais. Afinal, ficar de fora do mata do primeiro turno do Gauchão é algo que beira o inadmissível, no ano em que comemoramos 100 primaveras.
Sinceramente, gostaria de ver o time com 2 atacantes, até porque El 9 Zulu já nos mostrou que rende mais com um parceiro na frente. E se for pra ganhar jogando mal, que seja. A hora de arriscar é agora. Deixar para o segundo turno pode ser tarde demais.
Tenho dito.

domingo, 27 de janeiro de 2013

LUTO


Estava escrevendo um post sobre o jogo de ontem. Nosso churrasco, nossos amigos de Caxias que nos visitaram e mais um empate.

Mas acho que depois da tragédia desta madrugada no coração do estado, não há mais clima para falar de futebol. Desejamos força para os familiares, amigos, profissionais e todo mundo envolvido nesta tragédia.

Voltaremos a falar de futebol ao longo da semana.

 Att Fernando Bassanesi

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

JUVENTUDE x Floriano


Bom dia PAPADA

    Coisa ruim para nós de Porto Alegre esse jogo de ontem. Impossível de ir pela distância e horário e não passando na TV. Na Rádio Caxias, a Dilma interrompendo o jogo. E como somos obrigados a ouvir a rádio pela internet, não podemos acompanhar nem comentar no Facebook Twitter e afins, por causa do delay enorme da transmissão.

    De qualquer forma, arranjei uma desculpa para assar uma carninha e tomar uma cerveja, acompanhado de alguns papos da Zona Sul (Franco Garibaldi e Rudimar Schreiber) que recebi em minha humilde residência. E empatamos de novo. Pelo menos conseguimos falar abobrinhas e encher a cara.

    Mas sábado recomeça a função, e finalmente vamos conseguir ir em massa ao campo. Jogo na região metropolitana de Porto Alegre, e agora com estação de trem ao lado do estádio do Nóia!
Estaremos desde as 18 horas pelas redondezas do campo assando uma carne (na verdade, salsichão e pão), soltando foguetes, xingando quem passar com camisa da duplinha e recebendo quem desce de Caxias e os papos do Vale.

    Quem quiser participar da função, seja de onde for, me envie um e-mail (papobassanesi@gmail.com) que nós nos acertamos.

Tenho dito, e vamo que eles tão cagado
Fernando Bassanesi

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

DIRETORIA 2013


Bom dia PAPADA

É com grande alegria que divulgamos a diretoria do Consulado Juventudista em Porto Alegre.  Após algumas semanas de deliberação, o cônsul Guilherme Molin e o seu vice-cônsul Fernando Frizzo escolheram os seguintes nomes para nos comandar nos nossos 100 anos:

Guilherme Molin – Cônsul
Fernando Frizzo – Vice
Rudimar Schreiber Junior – Tesoureiro
Fernando Bassanesi – Logística
Adílio Zaffari – Secretário
Tiago dal Zotto, Ricardo Pelisoli, Leonardo Viccari e Pablo “Chinezinho” Cavalcanti – Assessores

            Espero que cumpramos bem esta árdua mas gratificante tarefa de representar o Esporte Clube Juventude em Porto Alegre num ano tão especial.
            E sábado já começa o gauchão. Podem ter certeza que estaremos na nossa casa, bebendo, gritando (vamos que eles tão cagado) e tremulando o nosso trapo, ajudando o Juventude a começar com o ano com o pé direito.

Dá-lhe PAPO
Fernando Bassanesi